Notícias / Agronegócios

14/06/19 às 23:13

Ministra Tereza Cristina confirma volta de vendas de carne para China

Negociações estavam suspensas desde 3 de junho por causa da notificação de um caso atípico vaca louca, em Mato Grosso

De Brasília repórter Raphael Costa

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Ministra Tereza Cristina confirma volta de vendas de carne para China

Foto: Divulgação

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, confirmou que as vendas de carne bovina para China vão retornar "ao normal". A declaração foi feita na conta da ministra no Twitter, nesta quinta-feira (13).

As vendas estavam suspensas desde 3 de junho, por causa da notificação de um caso atípico vaca louca, em Mato Grosso.

Segundo o MAPA, o gigante asiático é o único país, entre os importadores do Brasil, que tem protocolo sanitário que exige a suspensão temporária das importações de carne quando detectado caso atípico da doença.

Quem vai nos dar mais detalhes sobre a queda da suspensão comercial, e comentar outros assuntos, é a jornalista Carla Mendes, do Notícias Agrícolas. Bem-vinda, Carla.

“A ministra Tereza Cristina confirmou então que os certificados sanitários de exportações à China voltarão a ser liberados, confirmas as informações que circulavam desde ontem, por meio da consultoria privada Agriffato. Então, os embarques começam a ser retomados para a China, que é o maior comprador de carne bovina brasileira neste momento, o que traz uma possibilidade de recuperação dos preços da arroba do boi nesse momento, na medida em que haja necessidade dos exportadores irem então desafogando as vendas que estavam represadas.”

Ainda segundo o ministério da Agricultura, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) encerrou o pedido de informações complementares do Brasil sobre o caso. Isso mostra que não há risco sanitário. A pasta confirmou que as exportações de carne bovina continuaram normalmente para os demais países.

Já o desempenho da carne suína segue crescente. No entanto, a oferta de animais para a demanda interna e externa não está acompanhando o ritmo das negociações. Com isso, os preços aumentaram.

De quanto é esse crescimento, e como anda o desempenho do setor até aqui, Carla?

“Nós estamos exportando muito bem, somente em maio o Brasil exportou 66,4 mil toneladas de carne suína. O que representa uma alta de 10% com relação ao volume de abril e 41% em relação a maio de 2018. Isso porque a demanda pela nossa carne aumentou muito. E os chineses estão comprando mais carne suína por exemplo, entre outros compradores do Brasil, por conta da peste suína africana que ainda assola o país. Então, o Brasil continua nessa escalada das duas exportações em volume e dos preços da carne suína, justamente porque como a oferta não consegue acompanhar e a demanda cresce de forma considerável, nos vemos essa tendência de elevação dos preços crescendo semana a semana, mês a mês.”

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“É isso mesmo. Para quem quiser saber mais sobre o agronegócio brasileiro e mundial: noticiasagricolas.com.br. Até a próxima, Raphael".
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Fernando Rizzolo

New Deal no Brasil

Bairro simples da periferia. O cheiro de café ainda estava pela cozinha e transpunha a sala com móveis simples, um sofá velho e uma antiga televisão que tinha em cima dela algumas xícaras, daquelas que têm o...

 

Enquete

Se a eleição para presidente tivesse Jair Bolsonaro e Sérgio Moro como candidatos, em quem você votaria?

 
 
 
Sitevip Internet