Notícias / Meio Ambiente

09/06/19 às 15:48

População de Barra do Garças acredita em projeto de recuperação das margens do Rio Araguaia

A iniciativa visa recuperar 10 mil hectares de áreas degradadas às margens do Rio Araguaia nos Estados de Mato Grosso e Goiás.

Carol Sanford | Secom-MT

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
População de Barra do Garças acredita em projeto de recuperação das margens do Rio Araguaia

O grande objetivo é assegurar a disponibilidade de recursos hídricos para as próximas gerações

Foto: Tchélo Figueiredo

O programa Juntos pelo Araguaia, lançado na quarta-feira (05.06) pelo Governo Federal e Estados de Mato Grosso e Goiás, agradou a população de Barra do Garças (512 km de Cuiabá). A iniciativa visa recuperar 10 mil hectares de áreas degradadas às margens do Rio Araguaia nos dois Estados.

Para o advogado Domingos Sávio Souza, morador há 35 anos de Barra do Garças, o programa é o melhor que se ouviu falar no país, uma vez que prevê a preservação e recuperação de forma realmente prática das margens dos rios que compõem a bacia do Araguaia.

“Antes só víamos multas aos proprietários e produtores rurais, algumas arbitrárias, mas que não eram convertidas em prol do meio ambiente. Com esse programa, vamos ver a região do Araguaia recebendo de volta o que lhe foi usurpado ao longo dos anos, como sua natureza e biodiversidade”, comentou ele.

Elenice Maria dos Santos, pensionista, acredita que o Juntos pelo Araguaia é um programa que olha para o futuro das novas gerações. No entanto, destacou ser necessária a conscientização de toda a população para o sucesso da ação. “É uma união de forças e todos nós precisamos ter consciência e zelar pela vida do rio. Mesmo nós, que não somos produtores, podemos ajudar, por exemplo, não jogando lixo nas ruas de nossa cidade, nem no próprio rio”, afirmou Elenice.

O aposentado José da Costa mora há mais de 30 anos em Barra do Garças e lembrou da força do Rio Araguaia naqueles anos, quando aproveitava para pescar e nadar. “De uns anos para cá, o rio acabou. A cada ano que passa fica mais raso, sem profundidade. Daqui a pouco não teremos água nem para beber. Acredito que o que mais estraga o rio é o desmatamento e ter um programa para trazer a vida dele de volta é muito bom para todos”, declarou.



“Juntos Pelo Araguaia”

Baseado na experiência comprovada do Instituto Espinhaço em Minas Gerais, o projeto é o maior programa público de recuperação e revitalização de bacia hidrográfica no país, em um esforço conjunto entre os Governos Federal, de Mato Grosso e de Goiás.

O programa prevê a recuperação de 10 mil hectares de áreas degradadas em 27 municípios da região do rio Araguaia, sendo 5 mil em cada um dos Estados, Mato Grosso e Goiás. Entre as ações previstas pelo projeto estão a reposição florestal, plantio de mudas nas margens da área e conservação do solo de áreas degradadas em toda a região do rio. O grande objetivo é assegurar a disponibilidade de recursos hídricos para as próximas gerações.

Na primeira etapa, o objetivo é recompor as florestas protetoras de áreas de preservação permanente e manejar pastagens e atividades agropecuárias com tecnologias de agricultura de baixo carbono, bem como implantar sistemas agroflorestais nas zonas de recarga de aquíferos, nas cabeceiras e nos afluentes que formam o Rio Araguaia.

Privilegiando as cabeceiras do rio que corta cinco estados em um percurso de 2600 quilômetros, a área de abrangência da atuação em Mato Grosso engloba os municípios que compõem o Comitê de Bacia Hidrográfica do Alto Araguaia: Alto Taquari, Alto Araguaia, Alto Garças, Araguainha, Ponte Branca, Ribeirãozinho, Torixoréu, Guiratinga, Pontal do Araguaia, Tesouro, General Carneiro, Barra do Garças.


Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Paiva Netto

Hiroshima

Em 6 de agosto de 2019, precisamente às 8h15, completam-se 74 anos do lançamento da bomba atômica sobre Hiroshima, depois foi a vez de Nagasaki, também no Japão. Data que jamais será varrida das...

 
 
 
 
Sitevip Internet