Notícias / Agricultura

05/06/19 às 11:32 / Atualizada: 05/06/19 às 11:47

Por um Amanhã Melhor - Índios de Mato Grosso fazem curso do Senar para trabalhar na agricultura

A miséria ameaça o futuro do povo Xavante, mas eles estão lutando para mudar o cenário para si e para as próximas gerações

Pedro Silvestre, de Poxoréu (MT) / Canal Rural

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Por um Amanhã Melhor - Índios de Mato Grosso fazem curso do Senar para trabalhar na agricultura

Foto: Pedro Silvestre/Canal Rural

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) capacitou 15 índios da etnia Xavante para operação de tratores. Buscar conhecimento para trabalhar na agricultura foi o primeiro passos dos indígenas para mudar o cenário de miséria e fome, que tem castigando aldeias no sudeste de Mato Grosso.
 
O jovem Mauro Jacinto, de 19 anos, gostou da experiência. Ele concluiu o ensino médio e sonha em fazer agronomia, para ajudar toda a reserva Sangradouro. “Para mim, é um grande caminho esse em que estou entrando. Vai agregar renda a minha comunidade”, diz.

Clever Cunico, instrutor de Operação de Máquinas do Senar-MT, está trabalhando pela primeira vez com o povo indígena e está bastante surpreso. “Eles fazem perguntas e estão realmente interessados em aprender”, afirma.
 
Índios de Mato Grosso fazem curso do Senar para trabalhar na agricultura
Índios Xavante se reúnem para aprender a dirigir tratores. Foto: Pedro Silvestre
 
Índios de Mato Grosso fazem curso do Senar para trabalhar na agricultura
Clever Cunico, instrutor de Operação de Máquinas do Senar-MT, ensina indígena. Foto: Pedro Silvestre
 
A entidade já tem mapeados outros cursos, segundo a mobilizadora Márcia Gonçalves. “Teremos uma tapa de colheitadeiras de grãos, manutenção e como colher. Também vamos ter um curso de semeadura com a plantadeira”, conta.

Dados do último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que só Mato Grosso possui 43 etnias indígenas e algumas delas já se destacam pela produção agrícola em larga escala. Os Xavante estão dispostos a seguir esse caminho na tentativa de fugir da miséria e construir um futuro diferente para as próximas gerações. “Nossa expectativa é que possamos produzir, vender e juntar os recursos necessários”, conta o professor Osvaldo Buruwé Marãdzuho.

Ver vídeo da reportagem abaixo>>>

 
Imprimir Enviar para um amigo

Vídeo Relacionado

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Welyda Cristina de Carvalho

Ampliação da produção já depende de ferrovias

Todo ano, empresários do setor, produtores e governos têm dificuldade de criar condições para transportar grãos Uma nova safra recorde de milho e algodão começou a ser colhida e deve avançar...

 
 
 
 
Sitevip Internet