Notícias / Agricultura

29/05/19 às 21:32

A conta não fecha - Apenas 30% dos produtores do Vale do Araguaia compraram insumos

Setor alega que os custos estão mais altos, seja em dólar, real ou saca de soja — para quem fazia a aquisição ofertando parte da produção

Pedro Silvestre, de Canarana - Canal Rural

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
A conta não fecha - Apenas 30% dos produtores do Vale do Araguaia compraram insumos

Foto: Central Agro/divulgação

Apenas 30% dos agricultores da região do Vale do Araguaia, em Mato Grosso, compraram insumos para a safra 2019/2020. A maioria estuda novas estratégias, como é o caso do produtor Oldair Sangaletti, que cogita não recorrer a barter — troca de produtos por insumos — desta vez, porque a relação está pouco atrativa. “Hoje não fecha a conta, está quase inviável o plantio. Tudo alto, e o preço da soja baixo”, conta.
 
Segundo o presidente do Sindicato Rural de Água Boa, Antônio Mello, os agricultores estão com orçamento igual ou menor do que o ano passado. “Os custos estão acima, em reais, dólar ou sacas de soja”, conta.

O presidente do Sindicato Rural de Canarana, Alex Wisch, explica que a diferença entre preços e custos começou a pesar contra o produtor desde as sementes. “Elas estavam, em média, 10% mais caras do que no ano passado. Tem materiais 20% acima”, afirma.

Em Nova Xavantina, a aquisição está ainda mais atrasada: só 20% dos produtores concluíram as compras. As péssimas condições das estradas que escoam a safra e a guerra comercial entre China e Estados Unidos agravam as incertezas do setor produtivo.

“Nos outros anos, sementes já tinham sido praticamente todas compradas; defensivos e adubos estavam mais de 50% comprados. Podemos ter até uma redução da área plantada”, conta Endrigo Dalcin, presidente do sindicato local.

As opções, segundo Dalcin, seriam destinar a área para pastagens com cobertura, para quem é pecuarista, ou optar pelo milho, que dá sinais de bons preços. “Os americanos estão tendo um problema sério no plantio. A gente vê que consumo, demanda e exportação brasileira estão acelerados. Existe oportunidade para fazer a rotação de culturas e botar milho verão em algumas áreas”, diz.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Dr. Rosário Casalenuovo Júnior

Queimada e tempo seco não são os agentes principais das doenças respiratórias

As clínicas de otorrinolaringologista e pneumologia ficam cheias nesta época do ano. Crianças e idosos sofrem para dormir, principalmente devido à baixa resistência do organismo, fato que provoca com facilidade...

 
 
 
 
Sitevip Internet