Notícias / Nacional

16/10/15 às 18:28 / Atualizada: 16/10/15 às 20:06

Levy se irrita com criticas de Lula e do PT e decide pedir demissão; a turma do deixa disso convenceu ele a ficar

Com carta de demissão na mão, ele pediu encontro com Dilma

Diário do Poder

Imprimir Enviar para um amigo
Levy se irrita com criticas de Lula e do PT e decide pedir demissão; a turma do deixa disso convenceu ele a ficar

Joaquim Levy já redigiu a carta de demissão, mas a turma do deixa-disso tenta demovê-lo da decisão.

Foto: Valter Campanato

Menos de dez meses depois de assumir o cargo, o ministro Joaquim Levy (Fazenda) decidiu pedir demissão e até redigiu uma carta que pretende entregar pessoalmente à presidente Dilma Rousseff ainda nesta sexta-feira (16).

Neste momento, a "turma do deixa disso" está atuando para tentar evitar que ele venha a consumar a decisão. O ministro Jaques Wagner (Casa Civil) é o mais empenhado em tentar demover Levy de sair do cargo, mas ele parecia irredutível, mais cedo.

Joaquim Levy não suporta mais a situação em que se encntra, sob bombardeio permanente do ex-presidente Lula e de parlamentares do partido, que tentar "descolar" o PT e até a presidente Dilma Rousseff das medidas de ajuste fiscal, atribuindo seus aspectos mais duros apenas ao ministro da Fazenda.

Atualizada às 18h53

Levy não entrega carta e segue no cargo, mesmo insatisfeito


Terminou agora, depois de três horas, a reunião da Junta Orçamentária do governo no Palácio da Alvorada.

Joaquim Levy (Fazenda) não entregou a Dilma Rousseff a carta de demissão que redigiu entre a noite de quinta e a manhã desta sexta-feira e discutiu com aliados.

Houve discussões sobre o Orçamento deste ano e o de 2016, segundo participantes do encontro. Os ministros debatem formas de adequar a necessidade de cumprir a meta fiscal e, ao mesmo tempo, não incorrer em irregularidades apontadas pelo TCU, como as pedaladas.

O titular da Fazenda e os demais ministros dividiram missões para a aprovação de medidas no Congresso.

Antes mesmo da reunião, aliados que acompanharam a disposição de Levy de sair por conta da artilharia política a que está submetido consideravam a possibilidade de ele não efetivar a saída.

Na discussão da Junta Orçamentária, os ministros discutiram formas de adequar as contas públicas às novas exigências do TCU. Marcaram novas reuniões para a semana que vem para discutir pagamentos ao BNDES e novas formas de se relacionar com os bancos públicos.

 
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Gilberto Figueiredo

Oficialização de Pazuello em Ministério garante continuidade de ações na Saúde

Foi com satisfação que recebi a notícia da permanência e oficialização de Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde. O gestor, que antes atuava como interino, assumiu oficialmente a pasta na...

 
 
 
 
Sitevip Internet