Notícias / Meio Ambiente

06/05/19 às 16:49 / Atualizada: 06/05/19 às 17:10

Confresa - Ibama flagra extração ilegal de madeira em terra indígena e polícia prende 12 pessoas

Os policiais relataram que 'os trabalhadores estavam em condições subumanOs policiais relataram que 'os trabalhadores estavam em condições subumanas', em condições análogas à escravidão. Eles teriam sido trazidos de Minas Gerais para trabalhar na

Denise Soares, G1 MT

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo

Madeira extraída da Terra Indígena Urubu Branco, município de Confresa, foi apreendida — Foto: Divulgação
Madeira extraída da Terra Indígena Urubu Branco, município de Confresa, foi apreendida — Foto: Divulgação
 
Uma operação flagrou uma situação de extração ilegal de madeira na Terra Indígena Urubu Branco, município de Confresa, a 1.160 km de Cuiabá. Doze pessoas que trabalhavam na área foram presas. A ação ocorreu na sexta-feira (3) e foi divulgada nesta segunda-feira (6).
 
A operação foi feita em conjunto entre policiais militares, agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), servidores da prefeitura e Fundação Nacional do Índio (Funai).
 
A quadrilha atuava na extração ilegal de madeira na terra indígena. Os policiais e os agentes flagraram caminhões, tratores, toras e lascas de madeira da espécie roxinho.
 
As equipes destruíram vários acampamentos e conduziram 12 pessoas para a delegacia da Polícia Civil em Confresa.
 
 
Operação do Ibama, Funai e policiais flagrou extração ilegal de Terra Indígena Urubu Branco, município de Confresa — Foto: Divulgação
Operação do Ibama, Funai e policiais flagrou extração ilegal de Terra Indígena Urubu Branco, município de Confresa — Foto: Divulgação
 
Os presos responderão por formação de quadrilha, acesso indevido a terra indígena e furto de madeira em área federal.
 
Foram apreendidos dois tratores e uma retroescavadeira. O homem que coordenava a extração fugiu ao ver a chegada dos policiais e agentes.
 
Os trabalhadores estariam em condições análogas à escravidão. De acordo com a Polícia Civil, o caso será investigado pela Polícia Federal, já que o crime ocorreu em terras da União.
 
Os policiais relataram que 'os trabalhadores estavam em condições subumanas'. Eles teriam sido trazidos de Minas Gerais para trabalhar na exploração de madeira.
 
Os 12 trabalhadores foram levados no sábado (4) à cadeia do município de Porto Alegre do Norte, a 1.143 km de Cuiabá.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

José Sarney

São Luís em Dezembro

O sinos do Natal já podem ser ouvidos nos seus sons distantes Quando eu era menino e começava, em São Bento, a descobrir o mundo com suas belezas, a primeira coisa que me encantava era o campo verde, lindo tapete de capins:...

 
 
 
 
Sitevip Internet