Notícias / Água Boa

30/04/19 às 18:56 / Atualizada: 30/04/19 às 20:12

Água Boa - Prematura é transferida para UTI em GO após Defensoria conseguir bloqueio de valores do Estado

Márcia Oliveira, da assessoria

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Água Boa - Prematura é transferida para UTI em GO após Defensoria conseguir bloqueio de valores do Estado

Foto: Divulgação

A prematura Lorena Leite Romero, 25 dias, conseguiu uma nova chance de viver nesta terça-feira (30/04). Ela foi transferida para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital da Criança, em Goiânia (GO), onde receberá tratamento para pneumonia e complicações respiratórias. A medida só foi possível após a Defensoria Pública de Mato Grosso pedir, e a Justiça determinar, de forma ágil, o bloqueio de R$ 145 mil do Estado.

O dinheiro custeou o transporte aéreo e servirá para remunerar o tratamento da doença que a bebê contraiu, logo após o nascimento. Do município de Querência, Lorena nasceu prematura e com dificuldades respiratórias no dia 6 de abril. E 22 dias depois, voltou para o hospital com pneumonia e em estado grave, o que levou a equipe médica a indicar UTI, no domingo (28/4).

O defensor público que atua em Nova Xavantina e atendeu o caso no plantão, Leandro Jacometti de Oliveira, entrou com ação na Justiça, com pedido de liminar, para que o Estado providenciasse a vaga, no mesmo dia. No início da noite, o juiz plantonista Ítalo da Silva, determinou que a transferência e que a vaga fossem providenciadas imediatamente.

“A criança veio de Querência para o Hospital Regional de Água Boa, que mesmo sendo regional, não tem leitos de UTI. Como o juiz determinou cumprimento imediato, ele nos deu a chance de buscarmos orçamentos em hospitais privados e na mesma hora o doutor Leandro começou o trabalho para pedir o bloqueio de valores. A regulação pública, já tinha indicado que não havia vaga disponível”, explica a defensora que atua em Água Boa, Carolina Weitkiewic.

A defensora informa que ela e Oliveira buscaram orçamentos em nove hospitais diferentes, até conseguirem o de Goiás. E com base no documento, entraram com o pedido de bloqueio.

“A sensibilidade dos juízes, diante da omissão do Estado, nesse caso, foi fundamental para agilizar o socorro a essa prematura. Vimos, com as recentes mortes de crianças por falta de vagas em UTIs, que minutos, horas, fazem diferença para salvar a vida delas. E a rapidez com a qual conseguimos as decisões, certamente implicará positivamente na recuperação da saúde da Lorena”, avalia.

Com a decisão do bloqueio em mãos, a defensora ainda ligou no hospital e na empresa de transporte aéreo, explicou a gravidade da situação, e conseguiu que transportassem e recebessem a prematura, antes do pagamento dos valores ser efetuado. “O dinheiro pode levar dias para cair na conta dessas empresas e graças a Deus tiveram sensibilidade em perceber que a bebê, não tinha todo esse tempo”.

O valor bloqueado foi para o custeio de 10 dias de UTI e cinco em apartamento, além da cobertura de medicamentos, exames e atendimento médico especializado. “A família está muito feliz, o pai está muito emocionado e acreditamos que Lorena vai se recuperar. Porém, o que estamos fazendo é apagar incêndio”, avalia a defensora.

Carolina acredita que enquanto o problema da oferta de vagas em UTIs não for solucionado, a tendência é piorar. “O tema tem que ser debatido por toda a sociedade para encontrarmos a solução. O hospital Regional de Água Boa atende a nove municípios, era para ter estrutura mínima, mas não tem. Com o fechamento das vagas de UTI infantil, em Cuiabá, todo plantão precisamos entrar com ações. Apenas eu, já consegui o bloqueio de R$ 350 mil do Estado. Precisamos de hospitais e vagas. Do contrário, a situação não vai melhorar”, avalia.

Lorena chegou às 11h30 desta terça-feira no Hospital da Criança e já esta sendo atendida. A defensora lembra que o prematuro que nasceu de cinco meses, no dia cinco de abril, Pedro Vinícios de Moura, recebe tratamento, em Cuiabá, e já ganhou peso e passa bem. Carolina também atuou no caso dele, conseguindo o bloqueio de R$ 203 mil para garantir a atenção médica em UTI.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Virginia Mendes

O amor de mãe

Antes mesmo que eu recebesse a benção de ser mãe de três filhos eu ouvia outras mães e até mesmo a minha mãe me falando que o amor de mãe é algo sem medidas. Hoje posso afirmar e garantir...

 
 
 
 
Sitevip Internet