Notícias / Meio Ambiente

21/04/19 às 12:08

Parceria - Mato Grosso recebe de Goiás proposta para recuperar Araguaia

Projeto prevê recuperação das cabeceiras do rio nas duas unidades da federação

Juliana Carvalho | Sema-MT

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Parceria - Mato Grosso recebe de Goiás proposta para recuperar Araguaia

Em parceria com pequenos e médios produtores, projeto de larga escala se baseia em experiência de reposição florestal realizada na Serra do Espinhaço em Minas Gerais

Foto: Sema-MT

Para garantir vida longa ao rio Araguaia, o estado de Goiás apresentou a Mato Grosso uma proposta para recuperação das cabeceiras do curso d’água nos dois Estados. O projeto prevê a reposição florestal e conservação do solo de áreas degradadas na região de recarga do rio dentro das necessidades dos Programa de Regularização Ambiental (PRA) identificadas em pequenas e médias propriedades, assegurando a disponibilidade hídrica para as futuras gerações.

“Em Mato Grosso, sempre voltamos nossos olhos para a Amazônia. Sem deixar de lado a floresta, vemos a oportunidade para ampliarmos nossas ações na região do Cerrado, em especial no Araguaia”, destacou a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, que irá apresentar o projeto ao governador Mauro Mendes. De acordo com a gestora, o governador já sinalizou apoio à causa e a união entre os dois estados é primordial para que o projeto entre em ação.

O projeto foi apresentado a Mato Grosso pelo Estado vizinho em Barra do Garças (510 km a Leste da capital) na última quinta-feira (18.04). A secretária de Estado de Meio Ambiente de Goiás, Andrea Vulcanis, lembrou que a população goiana tem um carinho especial pelo rio que é amplamente utilizado para atividades turísticas e de lazer. “Este é o primeiro passo de um caminho a trilhar. A integração entre os dois Estados irá garantir força ao projeto para captação de recursos para sua execução”, projeta Vulcanis.  



Secretárias de meio ambiente de Goiás e Mato Grosso, Mauren Lazzaretti e Andrea Vulcanis, debatem propostas para garantir disponibilidade e qualidade hídrica do rio Araguaia

Baseado na experiência do Instituto Espinhaço em Minas Gerais, o projeto pretende ser o maior programa público de recuperação e revitalização de bacia hidrográfica no país. Em solo mineiro o projeto “Semeando Florestas, colhendo águas na Serra do Espinhaço” atuou na reposição florestal com mudas nativas em 61 municípios. Além dos estudos para identificação das espécies mais indicadas, a projeto também se preocupou em selecionar árvores de maior valor agregado, garantindo novas alternativas de renda aos produtores.

Segundo Luís Carlos Oliveira, fundador do Instituto, a ideia é ir além da ideia de comando e controle, oportunizando aos Estados a produção de água como negócio. Após um amplo diagnóstico realizado por meio do Cadastro Ambiental Rural (CAR) nas cabeceiras do rio, a proposta da entidade é que sejam recuperados 10 mil hectares, sendo 5 mil em cada um dos Estados, em um periodo de até quatro anos.

Beleza cênica

Divisa natural entre os dois Estados, o rio Araguaia nasce nos municípios de Mineiros (GO) e Alto Taquari (MT) e banha também os Estados do Pará e Tocantins em uma extensão de mais de dois mil quilômetros. Tema de músicas e novelas devido a sua beleza cênica, o rio é amplamente utilizado para atividades de turismo e lazer.

 
Imprimir Enviar para um amigo

comentar2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por João Vicente Moreira Peres, em 21/04/19 às 15:44

    Um ótimo projeto tomara que dêem andamento para a recuperação do glorioso Rio Araguaia, um conselho aos que navegam pelo o Rio não deixem de usar coletes salva vidas ele nós dão a garantia de sobrevivemos em caso de acidentes náuticos, vejo na foto sobre o passeio pelo o Rio que nenhum dos ocupantes estavam protegidos em caso de acidentes, lamentável.

  • por Marcos, em 21/04/19 às 14:48

    sem coletes??

 
 

veja maisArtigos

Telma Cenira Couto da Silva

Considerações sobre o eclipse solar parcial de 2 de julho

Só por curiosidade, estou enviando a figura que fornece/forneceu  a informação COMPLETA sobre o eclipse solar de 2 de julho último. Acima, à esquerda há um marcador com o sinal + que aumenta o mapa...

 

Enquete

Você é a favor ou contra a greve dos professores de MT

 
 
 
Sitevip Internet