Notícias / Justiça

09/04/19 às 19:45

Segunda Turma do STF manda soltar ex-presidente do BB e da Petrobras Aldemir Bendine

Bendine está preso desde julho de 2017 e foi condenado em 1ª instância a 11 anos de prisão. Ministros entenderam que prisão alongada representou antecipação da pena. Defesa nega crime.

Mariana Oliveira e Luiz Felipe Bárbieri, G1

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Segunda Turma do STF manda soltar ex-presidente do BB e da Petrobras Aldemir Bendine

Aldemir Bendine, ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil

Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo/Arquivo

Por três votos a dois, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) mandou soltar nesta terça-feira (9) o ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil Aldemir Bendine, preso em razão da Operação Lava Jato desde julho de 2017.
 
A maioria considerou que o tempo de prisão provisória foi alongado e que está sendo usada como antecipação de pena. Os ministros que votaram pela soltura destacaram que, até o momento, ele foi condenado apenas em primeira instância e não teve condenação confirmada em segunda instância.
 
A turma impôs medidas cautelares: ele deverá entregar passaporte, não poderá deixar o país nem se comunicar com outros investigados.
 
Bendine foi condenado em março de 2018 em primeira instância pelo ex-juiz Sérgio Moro a 11 anos de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
 
Bendine foi acusado de receber em 2015 R$ 3 milhões em propina da Odebrecht para facilitar contratos entre a empreiteira e a estatal.
 
Segundo o Ministério Público, quando comandava o Banco do Brasil, Bendine pediu R$ 17 milhões à Odebrecht para beneficiar a empresa, mas não recebeu o valor.
 
O advogado Alberto Toron, que defende Bendine, afirmou na tribuna da Segunda Turma que o cliente não se associou à Odebrecht para cometer crimes.
 
Disse ainda que não há motivo para a prisão. Segundo ele, Bendine foi absolvido de obstrução de justiça e organização criminosa, acusações que, em tese, poderiam justificar a manutenção da prisão.
 
Conforme o advogado, não há nenhuma comprovação de que ele possa cometer crimes porque não ocupa atualmente cargo público e está com bens bloqueados.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Alfredo da Mota Menezes

Nascendo a agroindústria

Deve crescer no Estado as fábricas de etanol de milho, como ocorreu nos EUA Têm em operação 12 fábricas de etanol em Mato Grosso. Duas são de milho e três, chamada flex, com cana e milho. As outras...

 
 
 
 
Sitevip Internet