Notícias / Educação

08/02/19 às 08:56

Secretária discute com povo Xavante melhorias e fortalecimento da educação indígena

Participaram representantes das unidades educacionais dos municípios de Paranatinga, Campinápolis, Barra do Garças e General Carneiro

Rosane Brandão | Seduc-MT

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Secretária discute com povo Xavante melhorias e fortalecimento da educação indígena

Foto: Divulgação

A secretária de Estado de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, recebeu, na tarde desta quarta-feira (06.02), representantes da etnia Xavante para discutir assuntos referentes à educação escolar indígena de unidades dos municípios de Paranatinga, Campinápolis, Barra do Garças  e General Carneiro.

Entre os assuntos tratados estavam a formação continuada para professores, reforma e ampliação de escolas, prestação de contas, além da solicitação para implantação do Núcleo de Educação Escolar Indígena Xavante.

Conforme explicou a secretária, a Secretaria de Educação (Seduc) quer fortalecer a discussão sobre a política educacional indígena. “Vamos formar uma comissão, com representações de vários segmentos ligados à educação indígena, incluindo os conselhos de educação, para discutir as especificidades da educação indígena, incluindo a cultura e os costumes de cada etnia. Nosso objetivo é fazer com que as políticas sejam discutidas com quem está no chão da escola e que vivencia essa realidade no dia a dia”.

O presidente do Conselho Estadual de Educação Escolar Indígena, Filadelfo de Oliveira Neto, disse estar confiante de que nos próximos quatro anos a educação indígena na rede estadual de Mato Grosso avance muito. “Saímos muito satisfeito dessa reunião, principalmente por a secretária nos receber e ouvir os anseios do povo indígena do Estado”.

O professor Xisto Xavante, da Escola Estadual Indígena Hambe, localizada no município de General Carneiro, falou da importância da implantação do núcleo escolar xavante para a comunidade escolar indígena. “Mato Grosso tem muitas etnias, sendo a Xavante uma das maiores. Não queremos ser tratados como se fossemos um povo só, pois cada povo tem sua cultura. Queremos que as políticas públicas para a educação sejam construídas levando isso em consideração”. 

Para a diretora da Escola Aldeiona, professora Marcelina Xavante, a participação dela nas discussões sobre políticas educacionais é um avanço muito grande para as mulheres da aldeia, pois na etnia elas são submissas aos homens e raramente participam dessas discussões.

Também participaram da reunião representantes das escolas indígenas dos municípios de Campinápolis, Aldeiona, Wa’Omora, Rãi’Rãte, Estrela, Xavante, Luz Rudzane’Edi Orebwe, David Ai’Rero, Constantino Tsererowêe Butse Wawe e de Paranatinga, Paihitwara; o cacique Pedro, da Aldeia Uirapuru; a assessora pedagógica de Campinápolis Mírian de Fátima; a representante do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público do Estado de Mato Grosso (Sintep) Guelda Oliveira; os secretários adjuntos  Executivo, Alan Porto, de Gestão Educacional, Rosa Maria Luzardo, de Administração Sistêmica, Ane Cristina dos Santos, além de técnicos da Seduc.

Educação Escolar Indígena

A rede estadual conta com 71 escolas indígenas distribuídas em todas as regiões do Estado, atendendo 11.600 alunos em todas as fases da educação básica.

A Educação Escolar Indígena é voltada às escolas localizadas em terras habitadas pelas comunidades indígenas, com a garantia do atendimento de ser diferenciada, específica, intercultural e de acordo com a realidade sociolinguística de cada povo.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Paiva Netto

Os servidores de Deus e a hora presente

Atravessamos um momento de transformação no mundo, radical e turbulento sob muitos aspectos, o que exige de nós capacidade superior no enfrentamento de obstáculos de todos os matizes. Não me refiro a uma correria...

 
 
 
 
Sitevip Internet