Notícias / Educação

08/12/18 às 16:45

Penitenciária Mata Grande /Rondonópolis - Reeducandos se qualificam e veêm na educação oportunidade de mudança

52 reeducandos concluiram cursos de panificação, corte e costura, pintura predial e o ensino médio

Raquel Teixeira | Sejudh-MT

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Penitenciária Mata Grande /Rondonópolis - Reeducandos se qualificam e veêm na educação oportunidade de mudança

Foto: Assessoria Sejudh-MT

Cinquenta e dois reeducandos da Penitenciária Major Eldo de Sá Corrêa, em Rondonópolis, concluíram cursos de qualificação profissional e o ensino médio. Nesta quinta-feira (06.12), eles receberam os certificados de conclusão em uma cerimônia, com a presença da equipe pedagógica da unidade prisional, servidores da penitenciária, equipe de gestão da Secretaria de Justiça e parceiros.

Pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) Prisional, voltado à capacitação de pessoas privadas de liberdade, foram ofertados os cursos de corte e costura e panificação. O programa é coordenado em Mato Grosso pela Secretaria de Ciência,Tecnologia e Inovação e qualificou 29 reeducandos, como Weverton, que fez panificação e trabalha na produção da padaria-escola construída este ano na penitenciária. "Foi uma chance muito boa aprender panificação, saber como fazer todos os produtos de uma padaria. É uma oportunidade que aproveitei e que poderá me ajudar quando sair", afirma ele, que é um dos multiplicadores do curso para outros reeducandos selecionados para trabalhar.

Na estrutura criada exclusivamente para a padaria, os alunos aprenderam a produzir pães de diversos tipos, como francês, de forma, hot dog, pão de queijo, salgados fritos e assados e bolo recheado e confeitado.
O Senai, parceiro em diversas unidades prisionais com a oferta de cursos, qualificou uma turma de 19 reeducandos em pintura predial.




Já a turma de pedagogas da unidade prisional e da Escola Estadual Nova Chance foi responsável pela formação de reeducandos, que receberam o certificado do ensino médio e estão aptos a prestar o Enem. Entre eles está Johnys Leão de Araujo, que em nome da turma agradeceu a disponibilidade das professoras em auxiliá-los na formação. "Só temos a agradecer a cada professora o empenho e dedicação em nos ensinar, em nos fazer enxergar um novo caminho, uma nova oportunidade pela educação".



Wilson Narciso fez o curso de corte e costura, que formou uma turma com 16 reeducandos. Ele trabalha na oficina da penitenciária e quer se especializar em costura. "É um curso que pode me ajudar na vida, pretendo quando conseguir minha liberação continuar trabalhando nessa área, pois é o que gosto", afirma ele, que aprendeu os primeiros passos na costura com a mãe.

Pronatec Prisional

O programa ofertou em unidades do Sistema Penitenciário de Mato Grosso cursos de Confeiteiro; Costura; Montador e reparador de computadores; Jardineiro; Maquiador; Agricultura familiar; Maquiagem; Operador de máquinas de marcenaria e Assistente administrativo.




Na segunda e terceira etapa, iniciadas em agosto foram realizados os cursos de corte e costura; marcenaria; pedreiro de alvenaria; pintor de obras imobiliárias; eletricista; instalador predial de baixa tensão; costureiro industrial de vestuário; salgadeiro; maquiador; aplicador de revestimento cerâmico; mecânico de refrigeração, entre outros.

Presente à formatura na Penitenciária de Rondonópolis, Neiva de Col, diretora da Escola Técnica Estadual e responsável pelo Pronatec na região Sul, destacou a satisfação em trabalhar os cursos com recuperandos e a dedicação de cada um na qualificação. “Foi muito gratificante ver o empenho e o resultado alçançado”, afirmou Neiva, acrescentando que a Secitec está preparando novas qualificações para o próximo ano. O Pronatec desenvolveu cursos profissionalizantes em cinco unidades prisionais da região sul.




O secretário adjunto de Administração Penitenciária, Emanoel Flores, pontua que as oportunidades de qualificação ofertadas aos custodiados no Sistema Penitenciário contam com importantes parcerias como do Senar, Senai, sindicatos rurais, conselhos da comunidade, Ministério Público e Poder Judiciário e o governo federal. "A qualificação, as oficinas de trabalho proporcionam não apenas a remição, mas uma oportunidade para que ao saírem, os reeducandos tenham uma nova chance de reconstruir a vida, de trilhar um recomeço".
Em todas as atividades educativas cursadas, os reeducandos recebem remição de pena.
 
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Virginia Mendes

Mulher, Juntas podemos mais!

Neste 8 de março – Dia Internacional da Mulher -, quero, inicialmente, convidar a todos para olhar e escutar com mais carinho e atenção as mulheres que estão ao seu redor. Isso é algo que deve vir antes de...

 
 
 
 
Sitevip Internet