Notícias / Agronegócios

07/12/18 às 07:48

Proposta para antecipar retirada da vacina é aprovada em Câmara Setorial da Carne

O IMAC apresentou estudo que indica os prejuízos causados pela reação vacinal

Assessoria IMAC

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Proposta para antecipar retirada da vacina é aprovada em Câmara Setorial da Carne

Foto: Assessoria IMAC

A Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Carne Bovina aprovou, em reunião realizada nesta quinta-feira (06), o encaminhamento ao Departamento de Saúde Animal do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para que seja avaliada a possibilidade de antecipar a retirada da vacina contra febre aftosa em animais com mais de 24 meses. A proposta foi apresentada pelo Instituto Mato-Grossense da Carne (IMAC) com base em estudos sobre as perdas decorrentes da vacinação.

O presidente do Instituto Mato-Grossense da Carne (IMAC), Guilherme Nolasco, apresentou um levantamento apontando que a maioria dos animais com mais de 36 meses é destinada ao abate e que muitos deles apresenta algum tipo de reação decorrente da vacina, como abcessos e inflações. “Os resíduos vacinais em animais abatidos trazem prejuízos ao produtor e à indústria frigorífica, além de comprometer a imagem de nossa carne no mercado”, explica Guilherme Nolasco. 

De acordo com o estudo, em 2017,  o prejuízo financeiro médio foi de R$ 12 por animal, o que representou uma perda de R$ 68 milhões para cadeia produtiva da carne. “Mostramos aos membros da Câmara o tamanho do prejuízo decorrente da vacinação em animais com idade próxima ao abate. Como grande parte dos animais com mais de 36 meses é transportada somente quando vai para o abate, não há tempo hábil para que os resíduos da vacina sejam absorvidos pelo organismo, causando reações e inflações”, afirma Nolasco.

Os dados apresentados por Guilherme Nolasco cruzam as informações de pesquisadores sobre as perdas decorrentes da vacina com os dados das Guias de Transporte Animal (GTA) que descrevem o destino do animal. “Conseguimos identificar que grande parte dos animais com mais de 36 meses circula para o abate, ou seja, fica menos suscetível ao contato com outros animais”.

A proposta aprovada na Câmara sugere a retirada gradual da vacinação a partir de 2019 para os dos animais com mais de 36 meses e de, em 2020, vacinar somente os animais até 24 meses. Em 2021 Mato Grosso, conforme o Plano Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA), eliminaria a vacinação de todo rebanho.
  • Proposta para antecipar retirada da vacina é aprovada em Câmara Setorial da Carne
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Juacy da Silva

Envelhecimento e saúde integral

A saúde, não no sentido simplesmente de ausência de doença,  mas sim, como enfatiza a Organização Mundial da Saúde, organismo especializado da ONU para esta área,  como “o mais...

 
 
 
 
Sitevip Internet