Notícias / Notícias Gerais

29/11/18 às 22:24 / Atualizada: 29/11/18 às 22:35

O que é clickativism? Saiba os desafios desse movimento na atualidade

Daiana Barasa/Assessoria

com redação AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
O “clickativism,” também conhecido como ciberativismo, diz respeito a movimentos sociais formados por grupos na internet. As mobilizações têm o objetivo de defender questões sociais como meio ambiente, causas políticas, culturais e outras.

No Brasil o clickativism cresce, impulsionado pelas redes sociais, principalmente no Facebook. O primeiro movimento organizado, por exemplo, ocorreu em 2013 e tomou proporções inimagináveis ao reunir um grupo de aproximadamente mil pessoas na Avenida Paulista, em frente à sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O Movimento Passe Livre (MPL) foi até as ruas e atraiu seguidores em todo país contra o aumento da passagem que de R$3 passaria para R$3,20. Os manifestantes entoavam o slogan “Não são só 20 centavos” alegando que a população teria muitas razões para ir às ruas.

O protesto teve a atenção da imprensa mundial, inclusive sendo comparado a Primavera Árabe, manifestações no Oriente Médio em 2011 a favor da liberdade de expressão frente à crise econômica e ausência de democracia enfrentada no período.

Quais são as vantagens do ciberativismo para a sociedade?
O ativismo social trouxe uma série de benefícios para a população, a começar pela maior atenção a causas de interesse social e participação em movimentos políticos e culturais.

O interesse por política aumenta não só no Brasil, mas em todo mundo, tornando o ativismo social presente na vida de milhares de pessoas. Outro ponto interessante desse movimento é que reúne interesses em comum e ao mesmo tempo, promove a troca de informações e realidades entre grupos distintos.

A rede online conecta pessoas de diferentes realidades, etnias e classes sociais em prol de objetivos de cunho social em comum. O movimento também propicia o compartilhamento de notícias que possam agregar em forma de conhecimento.

Executivos, indígenas, estudantes ou donas de casa podem possuir interesses sociais em comum e, a partir disso, trocar informações e agregar de acordo com cada realidade.

No entanto, sabemos que na prática não é bem assim que as coisas funcionam, tornando essencial discutir também os impasses gerados no ciberativismo e a necessidade de maior organização do movimento.

Desafios do clickativism

Falta de organização e controle
Embora a ferramenta online seja ótima para reunir pessoas, é bastante complexo gerir milhares de mensagens e petições compartilhadas aleatoriamente pelos integrantes.

Outro impasse é que nem sempre criar uma página online é sinônimo de atrair possíveis doadores para atividades filantrópicas, por exemplo. Muitas vezes a pessoa se restringe a seguir (curtir a página), mas não é ativa nas contribuições necessárias.

Nem sempre é levado a sério
Tudo o que populariza na internet chega a proporções e grupos espalhados. Um dos desafios do ciberativismo é garantir a veracidade e seriedade do trabalho desenvolvido. Aqui podemos considerar as ações filantrópicas, organizações políticas, como também os movimentos socioambientais.

O que é verdade e o que é mentira? As petições preenchidas realmente repercutirão em algo? É inevitável não se lembrar do movimento “fake news” espalhados ainda este ano nas eleições em 2018. Na internet é complicado definir o que é sério ou farsa.

O fato de qualquer pessoa poder disseminar o que quiser, e ainda esconder sua identidade, torna essa avaliação ainda mais difícil.

Comodismo
 É muito comum ouvirmos falar atualmente do “ativista do sofá” e essa frase resume muito bem o lado negativo do ciberativismo. O fato de poder defender suas ideias de casa, e compartilhar informações, faz com que as pessoas tenham a ilusão de utilidade pública e de ativismo social.

Fazer algo pelo mundo é muito mais do que compartilhar suas ideologias. O ciberativismo tem o propósito de reunir pessoas que possam agregar em práticas políticas e sociais. Como toda prática vai exigir esforço e condutas que possam realmente agregar no sistema.

Não basta compartilhar petições ou curtir páginas, é preciso ser ativo no movimento, conhecer a fundo, trocar ideia com os fundadores e encontrar ferramentas que tornam a sua participação útil.

A participação no protesto, doações ou angariar contribuintes, são condutas que variam conforme a necessidade do movimento, mas que tornam você um ativista, como o nome já diz claramente: ativo, e não em inércia.

Como contribuir para o ciberativismo?
Todo cidadão pode ser um ciberativista e contribuir socialmente em diversos grupos que acredita que pode tornar sua cidade, bairro ou país, melhor e mais democrático. Algumas condutas são muito importantes para que esse trabalho ganhe a cada dia credibilidade, portanto levar a sério é o primeiro passo.

O ciberativismo será a cada dia mais presente na população, por conta disso, é preciso preparo e conhecimento para lidar com essas ações. Confira algumas dicas:

 
  • Encontrou uma ONG que achou interessante na internet? Procure conhecer os integrantes, se possível, visite o local e espalhe o trabalho para os seus amigos;
 
  • Seja ativo em trabalhos de mobilidade social, com ações contribuímos para um mundo melhor;
 
  • Faça sua parte. Não dissemine informações sem antes checar a sua veracidade;
 
  • Respeite opiniões diferentes da sua na internet. Esse é um espaço democrático que reúne pessoas com realidades, cenários e histórias de vida distintas;
 
  • Não seja um “ativista de sofá”, faça a sua parte e principalmente, não defenda apenas ideologias políticas, mas benefícios sociais;
 
  • Pensamos diferente e isso é uma vantagem. Saiba melhorar a si mesmo através da oportunidade de compartilhar visões diferentes da sua. Pratique a tolerância.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Aurélio Mendanha

Ande lega! Direitos e deveres de quem anda de Bicicleta

No Brasil e não seria diferente no Município de Agua Boa, cada vez mais as bicicletas são usadas como um meio alternativo de transporte. Andar de bicicleta é uma atividade que tem encontrado cada vez mais adeptos na...

 
 
 
 
Sitevip Internet