Notícias / Agricultura

21/11/18 às 22:36 / Atualizada: 22/11/18 às 21:05

Expedição Safra - Chuva que desafia o plantio mantém expectativa de boa safra no Paraguai

Na quinta-feira (22), durante a Agro Expo Coopasam, equipe reúne a cadeia produtiva para discutir clima e mercado em ano de El Niño

Assessoria

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Expedição Safra - Chuva que desafia o plantio mantém expectativa de boa safra no Paraguai

Foto: Divulgação

A Expedição Safra percorre a partir da próxima semana as principais regiões produtoras de grãos do Paraguai. Devido ao excesso de chuvas nos meses de setembro e outubro, o país vizinho sofre para encerrar o plantio da primeira safra. A precipitação em excesso também aumenta o custo de produção ao exigir um número maior de aplicações no combate à ferrugem asiática.

Apesar do atraso, estima-se que o plantio esteja praticamente concluído. No ano passado, o trabalho havia sido concluído ainda em outubro. Mesmo assim, a expectativa é de produtividade média similar a safra anterior, com potencial para produzir mais de 9 milhões de toneladas de soja e cerca de 4 milhões de toneladas de milho. As informações são da Agrotec, empresa de fomento à produção e tecnologia agrícola no Paraguai. De acordo com Sidinei Neuhaus, gerente de Marketing da empresa, a expectativa é considerada boa para uma safra com a influência do El Niño.

Para debater as perspectivas do atual ciclo produtivo no Paraguai, tendências de mercado, preço das commodities soja e milho, além do clima da safra em ano de el Ninõ, na quinta-feira (22) a equipe da Expedição Safra, em parceria com a Agrotec, promove um encontro técnico com produtores e empresas da região. O evento, que marca o lançamento de mais uma edição do projeto no país, ocorre durante a Agro Expo Copassam, em Minga Põra, PY. Entre os palestrantes Luis Renato Lazinski, metereologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Ainda segundo Neuhaus, a comercialização da soja mantém a tendência das últimas temporadas com foco em exportação. O que deve mudar no próximo ano é o consumo interno de milho com a inauguração de uma nova usina de álcool no norte do Paraguai. Com isso, mais de 1 milhão de toneladas do grão devem ficar no país.

Somados ao desempenho brasileiro e argentino, os resultados alcançados pelo Paraguai na última década traduzem o potencial da América do Sul como celeiro do mundo na produção de alimentos. Segundo levantamento da Expedição Safra, o país vizinho saltou de 6,31 milhões de toneladas de soja produzidas na temporada 2007/08, para 9,02 milhões de toneladas no último ciclo. No milho, os números também subiram, passando de 2,62 milhões de toneladas para 4,13 milhões de toneladas na safra 2017/18.

Conforme explica o gerente do Núcleo de Agronegócio Gazeta do Povo e coordenador da Expedição Safra, Giovani Ferreira, o evento de lançamento da Expedição Safra no Paraguai vai reunir representantes da cadeia produtiva local, da sociedade organizada e de entidades governamentais. É gratuito e aberto ao público.

“A próxima década será de grande importância para o Paraguai, com um novo salto em produção e produtividade, resultado de investimentos em logística e tecnologia”, sentencia. Esses, inclusive, são temas que estarão em discussão no lançamento da Expedição Safra na Coopasam e também no roteiro técnico que será cumprido no Paraguai na próxima semana.

A apreensão agora, do mercado e do produtor, passa pelas definições sobre a safrinha. A opção passa por milho ou soja. Tem a ver com liquidez, variável que privilegia a soja. Mas também com manejo, decisão que favorece o milho na rotação de culturas.

A Expedição Safra faz um levantamento técnico-jornalístico da produção de grãos da América do Sul à América do Norte. O projeto percorre 12 estados brasileiros nas etapas de plantio e colheita. Para ampliar a discussão sobre mercado, desde a temporada 2010/11 a equipe realiza roteiros extraordinários, com incursões à Alemanha, Holanda, Bélgica, França, China, Índia, Israel, Rússia e ao Canal do Panamá. A Expedição Safra é uma iniciativa do Núcleo de Agronegócio Gazeta do Povo e é apresentada pelo Sistema Confea-Crea, com o patrocínio da Caixa Econômica Federal, Sementes e Fertilizantes Castrolanda, Agrotec, Alta, Solaris e Expo Londrina. O apoio logístico é do Groupe Renault.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Rafael Govari

A diferença entre plantar soja no Mato Grosso e no Sul

Acompanhamos as notícias que vem de Cuiabá e informam sobre aumento da carga tributária para os agricultores. O governo quer com isso equalizar as contas públicas, que há anos não fecham no azul e...

 

Enquete

Qual a sua opinião sobre a grade de shows da 29ª Expovale

 
 
 
Sitevip Internet