Notícias / Eleições

11/11/18 às 19:29

Ezequiel gastou R$ 71,9 por voto e não se reelegeu; Barbudo investiu R$ 0,09 e foi o mais votado

Ezequiel gastou mais que o dobro do que Neri Geller - o campeão em despesas de campanha entre os parlamentares eleitos para a Câmara Federal na próxima legislatura

Gabriela Galvão, O Livre

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Ezequiel gastou R$ 71,9 por voto e não se reelegeu; Barbudo investiu R$ 0,09 e foi o mais votado

Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre

O deputado federal Ezequiel Fonseca (PP) gastou uma média de R$ 71,9 por voto e não conseguiu se reeleger nas eleições deste ano. O valor é mais que o dobro do que gastou seu correligionário Neri Geller (PP), que foi o campeão em despesas de campanha entre os parlamentares eleitos para a Câmara Federal na próxima legislatura.

Ezequiel contraiu despesas num total de R$ 2,3 milhões e conquistou apenas 32,4 mil votos. Além disso, arrecadou R$ 92 mil a menos do que gastou e ainda não quitou todas as despesas, restando um débito de R$ 125 mil a serem pagos.

Outro deputado federal que disputou sem sucesso a reeleição e investiu alto na campanha foi Valtenir Pereira (MDB), que recebeu 44,1 mil votos a um custo médio por eleitor de R$ 46,7. O emedebista arrecadou R$ 1,9 milhão, mas gastou mais de R$ 2 milhões e pagou, até o momento, apenas R$ 1,8 milhão.

O custo médio do voto de ambos dos parlamentares foi mais alto do que o de Geller, que, embora tenha contraído despesas que quase atingiram o limite estipulado pela Justiça Eleitoral, de R$ 2,5 milhões, gastou R$ 33 reais por voto. As despesas do deputado, que foi eleito com 72 mil votos, chegaram a R$ 2,4 milhões na campanha.

Já Victorio Galli (PSL), terceiro parlamentar que não conseguiu ser reconduzido a uma cadeira na Câmara Federal nas eleições deste ano, é correligionário do deputado federal eleito com maior número de votos, Nelson Barbudo (PSL), que, curiosamente, foi o que menos gastou entre os representantes da próxima legislatura.

Enquanto cada voto de Galli custou R$ 13,5 reais, cada eleitor de Barbudo representou um custo médio de apenas R$ 0,9 centavos. Galli arrecadou R$ 722,2 mil e gastou R$ 718,6 mil para conquistar 52,9 mil votos. Barbudo, que recebeu 126,2 mil votos, gastou somente R$ 122,5 mil dos R$ 331,8 mil arrecadou.

Os valores estão presentes na prestação de contas dos candidatos à Justiça Eleitoral, cujo prazo se encerrou no último dia 6.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 
 
Sitevip Internet