Notícias / Meio Ambiente

04/11/18 às 17:42 / Atualizada: 04/11/18 às 17:52

Aripuanã -Invasores enchem sacos com terra retirada de garimpo e levam para casa na expectativa de achar ouro

Como não tem água no local, as pessoas enchem carros e motos de terra cavada no local e levam para fazer a separação em casa. Há cerca de 2 mil pessoas no garimpo, avalia polícia.

Eunice Ramos, TV Centro América

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Aripuanã -Invasores enchem sacos com terra retirada de garimpo e levam para casa na expectativa de achar ouro

Solange Alves de Oliveira com os sacos de terra extraídos do garimpo

Foto: TVCA/ Reprodução

Mesmo com uma série de dificuldades de acesso e falta d'água, o número de invasores no garimpo clandestino que fica em uma fazenda no município de Aripuanã, a 976 km de Cuiabá, só aumenta. A Polícia Militar que monitora o local estima a presença de aproximadamente 2 mil pessoas no garimpo, localizado em uma área particular.
 
Como não tem água no local, as pessoas enchem carros e motos de terra cavada no local e levam para fazer a separação em casa.
 
" Já tiramos uns 40 sacos e tem mais 40 para retirar lá embaixo. O nosso carro é pequeno, não podemos descer com o nosso carro lá. Daí tem um carro maior que baldeia do garimpo até Aripuanã. Primeiro, vamos mexer aqui, para depois lavar lá na cidade", disse a pescadora Solange Alves de Oliveira.
 
Já o motorista Fernando dos Reis levou ferramentas que podem ajudá-lo a encontrar ouro. "É um equipamento para fazer pesquisa de metais. Passa sobre a terra e identifica se tem o metal ou não tem", explicou.
 
Garimpo clandestino em Aripuanã continua atraindo pessoas
Garimpo clandestino em Aripuanã continua atraindo pessoas
 
A invasão na área começou há cerca de dois meses. O dono da fazenda já registrou queixa à polícia.
Nem a chuva impede a chegada de mais pessoas. A estrada de acesso à fazenda virou lama. Muitos carros atolam e enfrentam dificuldades para sair.

Área foi invadida por garimpeiros há cerca de dois meses — Foto: Reprodução/JN
 
A Polícia Militar está no local controlando o fluxo de carros e motos. O sargento da PM Rosino Antero de Souza afirmou que a presença da polícia no local é para garantir a ordem. "Nosso trabalho é manter a ordem entre os garimpeiros. Aqui tem pessoas que trabalham na área do garimpo como pessoas que nunca mexeram com trabalho de extração de minério", explicou.
 
A autônoma Marlene Alves saiu de Juína, a 737 km de Cuiabá, onde mora, e viajou mais 150 km para chegar ao garimpo, mas, segundo ela, não vale a pena continuar no local. "A gente viu que não compensa ficar. Então estamos indo embora, mas as pessoas que moram aqui serão abençoadas", disse.

Ver vídeo abaixo>>>

 
Imprimir Enviar para um amigo

Vídeo Relacionado

---------------------------------------------------------------------------------------------------

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Rafael Govari

A diferença entre plantar soja no Mato Grosso e no Sul

Acompanhamos as notícias que vem de Cuiabá e informam sobre aumento da carga tributária para os agricultores. O governo quer com isso equalizar as contas públicas, que há anos não fecham no azul e...

 

Enquete

Qual a sua opinião sobre a grade de shows da 29ª Expovale

 
 
 
Sitevip Internet