Notícias / Agricultura

24/10/18 às 08:40

Prespectivas - Em 2022, MT produzirá mais milho que soja

MT avançará na produção de milho frente à soja e aumentará a autossuficiência do etanol

Marianna Peres, Diário de Cuiabá

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Prespectivas - Em 2022, MT produzirá mais milho que soja

Foto: Divulgação

Projeta-se que até 2022 Mato Grosso produzirá mais milho que do que soja, dado que reforça o otimismo do setor de biocombustíveis, que vive o boomda produção do etanol de milho. Segundo o diretor-executivo do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras de Mato Grosso (Sindalcool), Jorge dos Santos, projeta-se colher 30 milhões de toneladas de milho em 2018, em Mato Grosso, sendo que destes, 1,5 milhão são destinados para a produção de etanol e 4 milhões para a alimentação animal direta.

"Em Mato Grosso, somente este ano foram produzidos 30 milhões de granéis de milho e exportados 17 milhões, fora os 8 milhões enviados ao mercado interestadual, principalmente Sul e Nordeste, além do que se consumiu internamente, cerca de 4,5 milhões de toneladas, já computados o consumido com etanol. Em um futuro próximo, a previsão é que quando tivermos atingido 50 milhões de litros de etanol, estaremos produzindo 50 milhões de toneladas de milho só em Mato Grosso", frisa.

No Estado, com o milho produzido, tem-se como produto o DDG (grãos de destilaria para alimentação animal com elevado teor em energia e fósforo obtido durante a produção de etanol), e como subproduto o etanol.

"Defendemos que é melhor transportar 300 kg de DDG do que uma tonelada de milho", explica. Segundo Jorge, uma tonelada de milho produz em média 200 kg de DDG, que vai direto para a alimentação e 400 litros em média de etanol por tonelada de milho. "Isso em um processo rudimentar. Se falarmos em processos mais modernos, ele já chega a 400 kg de DDG por tonelada com poder proteico de até 50%. Veja que é um produto tão bom quanto a soja, porém com um preço infinitamente mais barato", frisa.

O presidente da União Nacional dos Produtores de Etanol de Milho, Ricardo Tomczyc, destacou ainda que a produção de etanol de milho vai trazer ao Brasil uma situação semelhante ao que ocorreu nos EUA: um grande incentivo para produção de carne, com aumento de eficiência significativo na produção de carne bovina, suína, frangos e peixes em Mato Grosso.

O assunto também fez parte das discussões do I Workshop do Setor de Combustíveis de Mato Grosso, promovido pelo Sindipetróleo (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis de Mato Grosso), em conjunto com o Sindalcool e Sindibio (Sindicato das Indústrias do Biodiesel de Mato Grosso).

AUTOSSUFICIÊNCIA - Quanto à produção de biocombustível em Mato Grosso, foi levantado ainda o momento de extremo otimismo com o boom da produção do etanol de milho.

Para o presidente da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes, Paulo Miranda, o programa de álcool brasileiro é o mais bem-sucedido no mundo inteiro, contando com mais de 40 anos de sucesso absoluto. "Caso acabasse o petróleo hoje no Brasil, é certo que não haveria risco de o país parar, uma vez que conseguimos nos manter com etanol, a exemplo dos diversos carros flex que temos hoje".

Segundo Jorge dos Santos, o Brasil tem 4 a 7% de sua área ocupada com agricultura, enquanto Mato Grosso tem cerca de 11%. "Além destes, dentre os 25 milhões de ha ocupados hoje com pecuária, teremos cerca de 12 onde serão incorporados o processo agrícola e, com isso, poderemos dobrar a produção de grãos sem desmatar e/ou prejudicar a pecuária, uma vez que esta atividade será intensificada com a produção agrícola. É um processo virtuoso, e felizmente a indústria de etanol de milho chegou no Estado certo na hora certa", afirmou. Jorge destacou ainda dados da NASA que mostram, por meio de aerofotogrametria, que Mato Grosso possui 63% de área agricultável que se encontram preservadas.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Telma Cenira Couto da Silva

Considerações sobre o eclipse solar parcial de 2 de julho

Só por curiosidade, estou enviando a figura que fornece/forneceu  a informação COMPLETA sobre o eclipse solar de 2 de julho último. Acima, à esquerda há um marcador com o sinal + que aumenta o mapa...

 

Enquete

Você é a favor ou contra a greve dos professores de MT

 
 
 
Sitevip Internet