Notícias / Cidades

19/08/18 às 11:19

Venezuelanos são espancados por brasileiros após roubo em Roraima

Estadão Conteúdo

Edição: Clodoeste 'Kassu' AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Venezuelanos são espancados por brasileiros após roubo em Roraima

Foto: Inaê Brandão

A cidade de Pacaraima, em Roraima, viveu uma tarde de tumulto ontem após uma manifestação resultar em atos de agressão e destruição de acampamentos de venezuelanos que vivem na cidade, na fronteira com a Venezuela. Bombas caseiras foram jogadas em praças e nos abrigos improvisados nas ruas. Alguns venezuelanos foram expulsos e deixados do outro lado da fronteira, enquanto seus pertences foram queimados. Eles reagiram, formando uma confusão generalizada, que deixou um rastro de destruição pelo município.

A situação fez o presidente Michel Temer convocar uma reunião de emergência na manhã deste domingo com os ministros Raul Jungmann (Segurança Pública) e Sérgio Etchegoyen (Segurança Institucional) para debater o tema. O Exército cercou a área ainda ontem.

A revolta começou após assalto a um dos moradores da cidade, o comerciante Raimundo Nonato de Oliveira, de 55 anos. Ele teve a casa invadida e foi espancado. O roubo teria sido praticado por quatro venezuelanos na sexta-feira. Atingido na cabeça, ele foi levado para uma hospital da capital, Boa Vista. Seu estado de saúde é estável.

‘Alguns imigrantes atravessam a fronteira para cometer crimes. Eles renderam a família toda e o espancaram. Precisamos que as autoridades tomem providências‘, afirmou Vanderbegue Riberio, brasileiro e um dos organizadores da manifestação. Outro brasileiro, Almir Bueno, que vive na fronteira, disse que a criminalidade aumentou. ‘Com a tentativa de latrocínio desse comerciante, a população se revoltou, queimaram barracas, jogaram bombas no local chamado de ’favelão’, onde havia vários venezuelanos‘, diz.
 
Controle

O ministro Jungmann disse, ontem, que ‘a situação está tensa, mas se estabilizou e está sob controle‘. O ministro requisitou um avião da Força Aérea para transportar uma equipe de reserva da Força Nacional, de Brasília, para reforçar a segurança local.

Por meio de nota, o governo federal informou repudiar ‘atos de vandalismo e violência contra qualquer cidadão, independentemente de sua nacionalidade‘. O governo mantém no local uma força-tarefa, composta pelas Forças Armadas, organismos internacionais, organizações não governamentais e entidades civis.

Ainda no texto, a força-tarefa afirma que busca conter os ânimos dos manifestantes e que um reforço de seu efetivo foi mandado para a fronteira. ‘A força-tarefa deslocou parte de sua equipe médica para o Hospital Délio de Oliveira Tupinambá para apoiar eventuais casos, em consequência da manifestação‘.

Jungmann disse ainda que, para evitar maiores problemas, o Exército está reforçando a segurança do perímetro do acampamento legalizado, também em Pacaraima. Ao mesmo tempo, a Polícia Federal devolveu os venezuelanos que estavam em situação irregular. O governo quer evitar novos confrontos e o patrulhamento na cidade foi aumentado.

Auxílio

O governo de Roraima enviou reforços para o hospital de Pacaraima, com profissionais de saúde e medicamentos. Além disso, pediu aumento no efetivo policial. Em nota, o governo do estado criticou o governo federal. ‘A solução para a crise migratória só acontecerá quando o governo federal entender a necessidade de fechar temporariamente a fronteira, realizar a imediata transferência de imigrantes para outros estados e assumir sua responsabilidade de fazer o controle de segurança fronteiriça e sanitária.‘ As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Welyda Cristina de Carvalho

Ampliação da produção já depende de ferrovias

Todo ano, empresários do setor, produtores e governos têm dificuldade de criar condições para transportar grãos Uma nova safra recorde de milho e algodão começou a ser colhida e deve avançar...

 
 
 
 
Sitevip Internet