Notícias / Policial

08/08/18 às 08:11

Facção que extorquia comerciantes e criou sistema de arrecadação financeira é alvo de operação em MT

Polícia Civil deve cumprir 94 mandados de prisão e sequestro de bens do grupo.

G1 MT

Edição: Clodoeste 'Kassu' AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Facção que extorquia comerciantes e criou sistema de arrecadação financeira é alvo de operação em MT

Dinheiro apreendido na Operação Red Money

Foto: Polícia Civil de MT/Assessoria

Uma operação da Polícia Civil foi deflagrada na manhã desta quarta-feira (8) para cumprir 94 mandados de prisão preventiva contra membros de uma facção criminosa instalada em Mato Grosso.
 
A operação 'Red Money' deve cumprir, no total, mais de 230 ordens judiciais. Dos 94 mandados de prisão, 29 alvos já estão presos em presídios de Mato Grosso e 1 no Pará.
 
Do lado de fora são procurados 51 suspeitos na região metropolitana e 11 no interior de Mato Grosso: Rondonópolis, Sinop, Nova Olímpia, Sorriso, Peixoto de Azevedo, Guarantã do Norte e Poconé.
 
Outros dois alvos terão os mandados cumpridos fora de Mato Grosso. São dois suspeitos que estão no Pará (um preso no Presídio de Tucuruí e um solto na cidade de Jacundá) e um suspeito solto em Campo Grande (MS).
 
Também são cumpridos 59 mandados de busca e apreensão domiciliar, 80 ordens judiciais de bloqueios de contas-correntes, além de sequestro de bens (veículos, joias, imóveis) e valores.
 
Investigação
 
A investigação, iniciada há mais de 15 meses, busca apreender patrimônio e descapitalizar a principal facção criminosa, cujas lideranças estão no maior presídio de Mato Grosso, a Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá.
 
Operação Red Money apreendeu dinheiro e armas (Foto: Polícia Civil de MT/Assessoria)
Operação Red Money apreendeu dinheiro e armas (Foto: Polícia Civil de MT/Assessoria)
 
Segundo a apuração, a organização desenvolveu internamente um próprio sistema de arrecadação financeira, criando assim um grande esquema de movimentação financeira e lavagem de dinheiro, com utilização de empresas de fachadas, contas bancárias de terceiros, parentes de presos, entre outros.
 
A polícia descobriu três fontes principais de recursos:
  • Mensalidade paga pelos integrantes chamadas de 'camisa'
  • Cadastramento e mensalidades pagas por traficantes ou por ponto de venda de droga, conhecidas por 'biqueiras'
  • Cobrança de 'taxa de segurança' de comércios (extorsão de comerciantes).
Entre as medidas cautelares estão o bloqueio judicial de 80 contas bancárias, sequestro de uma fazenda no município de Salto do Céu, a 383 km de Cuiabá, duas casas e um terreno em Cuiabá, dois caminhões e cinco automóveis.
 
As ordens judiciais foram deferidas pelo juiz de direito, Marcos Faleiros da Silva, da 7ª Vara Criminal - Vara Especializada do Crime Organizado.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Ludmilla Vilela

Lei Geral de Proteção de Dados

Você sabe quantos novos conceitos e princípios a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) introduziu para tratamento de dados pessoais? A lista é grande. O que ele faz e quais são os pontos mais importantes da...

 
 
 
 
Sitevip Internet