Notícias / Saúde e Ciência

08/06/18 às 14:35 / Atualizada: 08/06/18 às 18:00

Cuiabá - Estado de saúde de recém-nascida indígena piora e deve passar por cirurgia

Bisavó está presa e disse à polícia que enterrou a menina porque achou que a criança estivesse morta. Polícia estima que menina ficou enterrada em cova por seis horas.

G1 MT

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Cuiabá - Estado de saúde de recém-nascida indígena piora e deve passar por cirurgia

Recém-nascida está internada em Cuiabá

Foto: Polícia Militar

O estado de saúde da índia recém-nascida – que foi resgatada depois de ser enterrada viva pela família indígena dela em Canarana – piorou entre a noite dessa quinta-feira (7) e a manhã desta sexta-feira (8).
 
A menina sobreviveu após ficar seis horas enterrada e foi resgatada por policiais, que registraram o resgate em vídeo (veja logo abaixo). A bisavó da menina, que está presa, disse à polícia que achou que a criança estivesse morta e que, por isso, a enterrou.
 
A criança está internada desde quarta-feira (6) em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá.
 
Ainda segundo a Santa Casa, a criança apresentou sangramento digestivo e infecção.
 
Por conta desse quadro de saúde, os médicos anunciaram que a recém-nascida passará por uma intervenção cirúrgica para colocar um cateter que deve tratar uma insuficiência renal.
 
Parto
 
A mãe da criança, de 15 anos, sentiu contrações e deu à luz no banheiro da casa. O bebê teria batido a cabeça no chão e não teve reação após o nascimento, segundo a família.
 
A história foi descoberta após uma denúncia anônima feita na Polícia Militar. A mãe da adolescente e a mãe do bebê foram ouvidas na delegacia e liberadas.
 
Prisão da bisavó e investigação
 
A Polícia Civil estima que a criança ficou enterrada por seis horas – entre as 14h e 20h de terça-feira em uma cova de 50 centímetros de profundidade.
 
A bisavó, K. Kamayura, de 57 anos, foi ouvida e alegou que a criança não chorou e, por isso, acreditou que estivesse morta.
 
Seguindo o costume da comunidade indígena, ela enterrou o corpo no quintal, sem comunicar os órgãos oficiais.
 
A bisavó da índia teve a prisão convertida em preventiva depois de passar por audiência de custódia nesta quarta-feira.
 
Na decisão, o juiz Darwin de Souza Pontes, da 1ª Vara de Canarana, a ordem pública como motivo para determinar a prisão preventiva de Kutsamin. Ela deve responder por tentativa de homicídio.
 
Ela foi encaminhada para a cadeia pública de Nova Xavantina.
 
Segundo o delegado responsável pelo caso, Deuel Paixão de Santana, o suposto envolvimento da mãe e da avó da índia recém-nascida será apurado pela Polícia Civil de Mato Grosso.
Um novo boletim médico, divulgado no final da manhã desta sexta-feira, aponta que a menina teve insuficiência respiratória e, por isso, foi entubada e respira com a ajuda de aparelhos.
Imprimir Enviar para um amigo

Vídeo Relacionado

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Ludmilla Vilela

Lei Geral de Proteção de Dados

Você sabe quantos novos conceitos e princípios a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) introduziu para tratamento de dados pessoais? A lista é grande. O que ele faz e quais são os pontos mais importantes da...

 
 
 
 
Sitevip Internet