Notícias / Barra do Garças

20/04/18 às 10:15 / Atualizada: 20/04/18 às 11:00

Estudantes bloqueiam entrada da UFMT contra aumento dos preços do restaurante universitário em Barra do Garças

Redação AguaBoaNews

com Agência Focaia - Focas do Araguaia

Imprimir Enviar para um amigo
Estudantes bloqueiam entrada da UFMT contra aumento dos preços do restaurante universitário em Barra do Garças

Início das manifestações nesta sexta-feira. Protestos e paralisação do campus deve se estender ao longo do dia.

Na manha desta sexta-feira, 20 de abril, estudantes da Universidade Federal de Mato Grosso – Campus do Araguaia se reuniram na guarita do prédio, impedindo a entrada de funcionários e alunos, e paralisando as atividades da universidade. Os estudantes estão manifestando contra a nova política de alimentação do Restaurante Universitário (RU) proposta pela reitoria.

Ontem, quinta-feira, o Diretório Central dos Estudantes (DCE) se reuniu com cerca de 200 alunos e decidiram por realizar uma mobilização hoje, no Campus Araguaia, a partir das 6h da manhã, sem previsão do horário de término.

De acordo com o 1º secretário do diretório da entidade, Luiz Guilherme, algumas informações vindas da administração da UFMT, sobre a política de alimentação do RU, estão obscuras, recebidas somente de maneira informal sinalizando modificações da atual política do RU, sem avaliar propostas dos representantes dos estudantes e, “isso leva a incerteza sobre a veracidade do que foi informado”, analisa.

Em reunião realizada dia 29 do mês passado com os representantes dos estudantes, a reitoria da UFMT propôs um valor universal de R$ 5,00 por refeição. Entretanto os DCEs fizeram uma contraproposta com variação entre R$ 1,25 a R$ 1,50 por refeições, conforme informou o primeiro secretário.
 
Esta negociação teve início neste ano, quando a administração da UFMT entendeu que arca com altos custos com a alimentação estudantil. Primeiramente entendeu que deveria haver uma divisão por renda em grupos. O Grupo A, formado por estudantes com renda familiar mensal per capita de até 1,5 salário mínimo, terá isenção total. O Grupo B obterá 50% de isenção e o Grupo C ficaria sem isenção, pagando o valor estabelecido pela refeição que é de R$10. O mesmo valor será cobrado para aqueles que não são estudantes matriculados.

O 1° Coordenador de Ensino, Pesquisa e Extensão do DCE, Pedro Rezende, esclarece que havia um prazo até amanhã (sexta-feira) para que os estudantes encaminhassem a contraproposta acerca da proposta realizada pela reitoria na última reunião do dia 29 de março. Posteriormente, na próxima terça-feira (24) uma nova reunião de todos os DCE com a reitoria seria feita para que fossem discutidas as propostas encaminhadas com o objetivo de chegar a um consenso.
 
Porém, segundo o DCE do Campus Araguaia, a decisão sobre o valor das refeições do Restaurante Universitário será tomada amanhã pela reitoria da universidade. O parecer da reitoria não condiz com o acordo feito com todos os diretórios centrais dos estudantes.
 
Veja nota oficial publicada dia 20 de fevereiro no site da UFMT, em que a instituição esclarece que adotará nova política de alimentação no contexto de assistência estudantil da Instituição.

Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Dr. Rosário Casalenuovo Júnior

Queimada e tempo seco não são os agentes principais das doenças respiratórias

As clínicas de otorrinolaringologista e pneumologia ficam cheias nesta época do ano. Crianças e idosos sofrem para dormir, principalmente devido à baixa resistência do organismo, fato que provoca com facilidade...

 
 
 
 
Sitevip Internet