Notícias / Negócios

19/04/18 às 12:53 / Atualizada: 19/04/18 às 12:58

2018 é um ano de altas expectativas para o mercado calçadista

Venda de produtos para outros países alcançou o melhor resultado desde 2013

Débora Ramos

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
2018 é um ano de altas expectativas para o mercado calçadista

Foto: Divulgação

O mercado  calçadista tem motivos para comemorar. Após três anos de queda nas vendas, o setor observou um crescimento na ordem de 3% em 2017. Para 2018, a expectativa é a mesma, embora o clima seja de cautela por causa dos feriados e eventos como Copa do Mundo e eleições. As informações foram divulgadas na 45ª edição da Couromoda, feira calçadista que lança mais de duas mil coleções de calçados e acessórios, pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados). O crescimento no varejo foi impulsionado pela queda na inflação.

 Para tanto, de acordo com o presidente da Couromoda, Francisco Santos, são necessárias condições econômicas favoráveis e ajuste das contas públicas, além de uma adaptação do setor ao mercado. “Essa é a melhor Couromoda dos últimos quatro anos e tenho convicção que, com o esforço conjunto dos empresários, iremos consolidar a posição do Brasil como um dos maiores produtores de calçados do mundo, o maior fora da Ásia”, disse, de forma otimista, à época.

De janeiro a outubro de 2017, a produção do setor calçadista havia crescido 3,5%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em relação ao mercado internacional, foram vendidos 127 milhões de pares por US$ 1,09 bilhão em 2017, o que representa um crescimento de 1,2% em pares e 9,3% em receita, o melhor resultado desde 2013.

O ponto negativo ficou com as vendas para os Estados Unidos, maior mercado importador de calçados brasileiros. A queda nas exportações para os americanos foi de 13,3%, com uma diminuição de 12,7% em receita (para US$ 170,2 milhões).

Apesar da queda de quase 9% no volume de vendas, o varejo brasileiro teve um incremento de 4,9% na receita, de acordo com a Associação Brasileira dos Lojistas de Calçados e Artefatos (Ablac). A estimativa é de um crescimento no faturamento na ordem de 3,5% em 2018. A expectativa é mais conservadora por causa do calendário com menos dias úteis neste ano.
 
Mercado infantil também é promissor
 
 Outro setor que parece inabalável é o de moda infantil. Apesar da crise política e econômica que assolou o Brasil nos últimos quatro anos, esse segmento continuou crescendo uma média de 8% ao ano. Em seis anos, houve um crescimento de 45,6% no volume de venda anual de produtos do segmento infantil no país, saindo de R$ 2,7 bilhões para R$ 3,9 bilhões, de acordo com a Euromonitor, empresa especializada em pesquisas de inteligência de mercado.

Segundo dados da IEMI, outra empresa de pesquisa de mercado, em 2017, a produção de vestuário infantil e bebê cresceu cerca de 3,1%, representando um incremento de 6,2% em receita no Brasil.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Fernando Rizzolo

Vinho chileno com sabor de rebeldia

Já fui melhor nisso. Uns dez anos atrás, eu era um apreciador de vinhos. Na época, isso era uma espécie de moda, e, de todos os vinhos, o que eu menos apreciava era o chileno. Talvez em razão do meu paladar mais...

 
 
 
 
Sitevip Internet