Notícias / Meio Ambiente

02/03/18 às 11:37

WWF-Brasil promove expedição no pantanal mato-grossense

Em Mato Grosso a expedição será realizada ao longo do rio Paraguai, rio que é emblemático não só para o Brasil, mas também para Bolívia, Paraguai e Argentina.

Assessoria

com redação Água Boa News

Imprimir Enviar para um amigo
WWF-Brasil promove expedição no pantanal mato-grossense

Júlio César Sampaio, coordenador do Programa Cerrado Pantanal do WWF-Brasil.

Foto: Assessoria

A WWF-Brasil promove entre dos dias 05 e 08 de março uma expedição ao Pantanal Mato-grossense, denominada “Jornada da Água”. Uma ação que tem como objetivo promover a conscientização sobre a importância da água doce para a sobrevivência dos seres humanos, animais e plantas e para o desenvolvimento sustentável e ainda alertar a sociedade que as cabeceiras do Pantanal, o planalto, estão em alto risco: 55% já foram desmatadas.
 
A WWF-Brasil quer alertar as pessoas sobre o fato de que a água que utilizamos em nossas casas não “nasce” nas torneiras nem no chuveiro, mas vêm dos rios. A primeira “Journey of Water” foi organizada pelo WWF África do Sul e já aconteceu em outros dois países.
 
Em Mato Grosso a expedição será realizada ao longo do rio Paraguai, rio que é emblemático não só para o Brasil, mas também para Bolívia, Paraguai e Argentina.
 
De acordo com a WWF-Brasil a ideia é conhecer “ao vivo” os problemas que ameaçam o rio Paraguai, seus afluentes e o Pantanal como um todo.  As ameaças ao rio Paraguai e ao Pantanal são muitas, como desmatamento, nascentes degradadas, construção de hidrovias mal planejadas e mal executadas, falta de saneamento básico e péssimas práticas agropecuárias.
 
“Vamos levar um grupo diverso de 25 pessoas para que elas possam ver “ao vivo” a situação do Pantanal. É uma oportunidade única! Gostaríamos de convidar a todos que sigam essa aventura por meio do site jornadadaagua.org”, diz o coordenador do Programa Cerrado Pantanal do WWF-Brasil, Júlio César Sampaio.
 
Além de observar a degradação que atinge a região, os participantes também serão agraciados com a beleza da fauna e da flora do Pantanal.
 
A expedição será formada por um grupo de 25 pessoas, entre integrantes do staff da WWF do Brasil e da WWF do Reino Unido, dos Estados Unidos, Paraguai e Bolívia, e representantes de diferentes entidades e órgãos, como Unesco, Ministério do Meio Ambiente, Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA), representantes políticos do Pantanal e integrantes do Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal, jornalistas estrangeiros e nacionais e influenciadores.  O cantor Gabriel Sater, a cantora Ana Rafaela e o ator João Campos participarão todos os dias da Jornada.
 
O grupo percorrerá um itinerário rico de informações, conversando e interagindo com os moradores da região. Tudo isso para vivenciar que a água não vem da torneira, mas sim de um rio.
 
Os temas abordados pela expedição são inúmeros: necessidade de união de forças entre Brasil; Paraguai e Bolívia na conservação do Pantanal (Pantanal Challenge), relação entre o planalto e a planície para a conservação do Pantanal e de seus pulsos hidrológicos; conexão entre uma nascente e um rio e a conexão entre uma nascente e a água que utilizamos no nosso dia-a-dia (nas casas, na produção agropecuária e industrial); desafios atuais para a conservação do Pantanal, sua biodiversidade e serviços ecossistêmicos; ações e resultados do trabalho do WWF-Brasil no Pantanal; lei do Pantanal que ainda está em andamento.
 
ROTEIRO

04/03 – Chegada dos participantes a Cuiabá
 
05/03 – Saída de Cuiabá com destino a Diamantino. O que será visto: desmatamento por conta de pecuária extensiva e soja e diversas nascentes do rio Paraguai; agricultura mecanizada intensiva, motor econômico do Centro Oeste brasileiro; impacto de antigos garimpos de diamante na região; passagem pelo pequeno Rio Paraguai, próximo as nascentes, ainda com suas águas limpas sem sedimentos sólidos. Visita a região onde o rio nasce, e visita a Lagoa da Princesa. Retorno para Cuiabá a noite.
 
06/03 – Saída de Cuiabá para Cáceres. Em Cáceres, será visto desmatamento e lixo e esgoto sendo jogados diretamente no rio Paraguai. Após o almoço, subido pelo rio Paraguai em lanchas por meia hora até a foz do Rio Sepotuba. Retorno descendo o rio Paraguai rumo à pousada Baiazinha (na zona Rural de Cáceres), passando também pelo rio Jauru, podendo observar sinais do desmatamento da mata ciliar. Ao final da tarde, retorno a pousada Baiazinha.
 
07/03 –  Saída de lancha, descendo o rio Paraguai rumo à Estação Ecológica Taiamã, grande área preservada da região. Essa estação ecológica é uma Unidade de Conservação (UC) federal. Nesse dia, os integrantes da expedição irão debater a importância das UC’s para a preservação do Pantanal. Neste ponto, o rio Paraguai está preservado, explorado apenas pela pesca esportiva e comercial (pescadores artesanais). Retorno à pousada Baiazinha no final da tarde.
 
08/03 –  Vôo panorâmico para que os jornalistas possam ter uma visão macro do Pantanal, com sua imensa área selvagem ainda preservada. Retorno para o aeroporto de Cuiabá.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Dr. Rosário Casalenuovo Júnior

Coisas de Preto

Cada povo tem seu dom, sua habilidade e no Brasil temos a riqueza de todas as cores de pele,tipos de cabelo, todas as culturas do mundo, diferentes etnias. E no meu ponto de vista, a maior riqueza da humanidade é a diversidade.  Mas...

 

Enquete

Se a eleição para presidente tivesse Jair Bolsonaro e Sérgio Moro como candidatos, em quem você votaria?

 
 
 
Sitevip Internet