Notícias / Saúde e Ciência

30/01/18 às 11:50

Poluição sonora: entender os efeitos do som é fundamental para combatê-la

Mesmo associada às grandes metrópoles, poluição sonora também afeta ambientes fechados

Daiana Barasa

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Poluição sonora: entender os efeitos do som é fundamental para combatê-la

Foto: Shutterstock.com

Buzinas, sirenes e som alto. Quem vive em grandes cidades é extremamente familiar com o excesso de barulho. Em outras palavras, convive diariamente com a poluição sonora.
 
Entretanto, ela não se limita só às metrópoles: ambientes fechados também estão sujeitos a ela. É preciso tomar medidas para impedir que o ruído afete a saúde.
 
O que é a poluição sonora?
 
A poluição sonora é o excesso de barulho. Mas o que isso significa, realmente?
A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que o ouvido humano não deve ser exposto a ruídos com mais de 50 decibéis. Do contrário, em longo prazo, pode ocorrer perda auditiva.
 
Assim, cientificamente, a poluição sonora significa ficar exposto a sons que superam esse limite, incorrendo em danos à saúde.
 
Por que a poluição sonora é prejudicial?
 
Apesar de a perda auditiva ser a consequência mais conhecida da poluição sonora, ela não é a única. Quem fica exposto a ruídos altos por períodos prolongados fica sujeito a apresentar uma série de sintomas, como:
 
·         Insônia;
·         Dores de cabeça;
·         Agressividade;
·         Problemas de concentração;
·         Pressão alta;
·         Gastrite e úlceras.
 
Como os efeitos do som interferem na poluição sonora?
 
De acordo com a física, existem dois efeitos do som. São eles:
 
·         Eco: o eco acontece quando o som é refletido longe da fonte emissora. Assim, é possível identificar o som original do secundário.
·         Reverberação: na reverberação, o som também é refletido. Só que isso acontece perto da fonte emissora, assim, o ouvinte não consegue distinguir o original.
 
No caso da poluição sonora, este último efeito é que predomina. Por exemplo: em uma indústria totalmente fechada, o espaço não é grande o suficiente para que o ruído refletido pelas paredes seja diferenciado do som original. O mesmo pode acontecer em locais com muitas pessoas falando ao mesmo tempo, como um restaurante.
 
Entretanto, há espaços nos quais a reverberação é desejável. As casas de shows são bons exemplos.
 
Em ambos os casos, um projeto de tratamento acústico visa corrigir seja o excesso ou a falta de reverberação com técnicas e materiais adequados.
 
Como usar os efeitos do som para diminuir a poluição sonora?
 
Para diminuir o excesso de ruído, é preciso trabalhar com os efeitos do som. Geralmente, trabalha-se com dois objetivos: impedir que o som entre ou saia. Por exemplo: se o seu município tem uma Lei do Silêncio e você é o proprietário de um estabelecimento muito barulhento, a legislação te obriga a tomar medidas para evitar que o som escape do local. Do contrário, ele incomodará os vizinhos, fazendo com que você corra o risco de pagar uma multa ou, até mesmo, de ter o estabelecimento fechado.
 
Consequentemente, você precisa evitar que o som saia por meio de revestimentos acústicos. Algumas opções são a lã de rocha, lã de vidro e a espuma acústica.
 
Isolamento acústico industrial
 
Para quem é proprietário de indústria, há ainda outra preocupação: os funcionários. Além de seguir a Lei do Silêncio, é preciso cumprir as determinações da legislação trabalhista e da ABNT quanto à exposição ao ruído.
 
No caso de fábricas, a principal fonte emissora de ruídos são as máquinas. Há algumas soluções de isolamento acústico industrial no mercado que impedem que seus sons se propaguem. Algumas delas são:
 
·         Enclausuramento de máquinas: utilizado para isolar equipamentos barulhentos e que não têm que ser operados por pessoas em um local reforçado com materiais de isolamento acústico. Deste modo, o som por elas produzido não se propaga e fica restrito àquele ambiente.
·         Cabine de proteção: se um trabalhador precisa operar um equipamento barulhento, o enclausuramento de máquinas não é viável. Entretanto, é possível investir em uma cabine de proteção. Do mesmo modo que no enclausuramento, ela é feita de materiais acústicos especiais, de modo a evitar que o ruído do equipamento penetre no ambiente.
·         Visor acústico: toda indústria também precisa de uma área administrativa. Portanto, é comum que haja escritórios dentro de fábricas, sendo que é desejável visualizar a área de produção a partir dele. Isso é possível com o visor acústico: feito de vidro reforçado, ele impede a penetração do ruído no ambiente, mas oferecendo excelente visibilidade.
 
Vale ressaltar que a audição perdida não pode ser recuperada, por isso é tão importante prezar pela saúde auditiva
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

José Sarney

São Luís em Dezembro

O sinos do Natal já podem ser ouvidos nos seus sons distantes Quando eu era menino e começava, em São Bento, a descobrir o mundo com suas belezas, a primeira coisa que me encantava era o campo verde, lindo tapete de capins:...

 
 
 
 
Sitevip Internet