Notícias / Agronegócios

23/11/17 às 10:53

Chineses chegam a MT para aprender sobre suinocultura e estreitar parcerias

Segundo o governador Pedro Taques, toda essa aproximação serve para melhorar e aumentar a parceria comercial entre Mato Grosso e China

Euziany Teodoro | Gcom-MT

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Chineses chegam a MT para aprender sobre suinocultura e estreitar parcerias

Foto: Christiano Antonucci

O governador Pedro Taques recebeu uma comitiva de 30 chineses, nesta terça-feira (21.11), que vieram a Mato Grosso para aprender mais sobre a produção da cadeia de suínos no estado, que é referência internacional. A visita dos empresários chineses é consequência da visita de uma comitiva do Executivo Estadual à China, ocorrida este mês.

Segundo o governador Pedro Taques, toda essa aproximação serve para melhorar e aumentar a parceria comercial entre Mato Grosso e China, que já é o maior importador do agronegócio mato-grossense.

Fazhan Liu, chefe da delegação chinesa em Cuiabá e diretor comercial da empresa Muyuan Foods Co, terceira maior produtora de suínos da China, destaca a importância do desenvolvimento sustentável, de modo a reduzir custos da produção da principal proteína consumida naquele país.

“A produção de suínos na China está passando por uma mudança muito grande. Os pequenos produtores estão diminuindo e sendo substituídos pela industrialização, e isso aumentou a nossa importação. Estamos em busca de aprendizado, tecnologia e sustentabilidade para nos enquadrar nesse novo modelo: produzir com qualidade e reduzir nossos custos”, explicou.

Para Pedro Taques, Mato Grosso está pronto para atender, também, a esta exigência. “Temos que produzir mais, não apenas em quantidade, mas principalmente em qualidade. Precisamos destacar o desenvolvimento ambiental e social. Para isso, criamos a estratégia PCI e temos tido reconhecimento internacional em razão dela. Recebemos quase R$ 170 milhões da Alemanha e do Reino Unido durante nossa viagem este mês, após passarmos pela China. Essa delegação veio ao lugar certo.”

A soja e o milho também são produtos de interesse dos empresários chineses. “A produção própria da China não é o suficiente para atender a todos. Hoje, anualmente, importamos cerca de 9 milhões de toneladas de soja. Estamos aqui para melhorar essa parceria, também aprender mais sobre preservação ambiental, segurança alimentar, controle de custos e de doenças das lavouras. Para isso, Mato Grosso é nossa referência”, afirma Xinai Chang, vice-presidente da empresa Pequim Harmony Sunshine Agricultura e Pecuária Technology Service Co.

Consumo

A China é líder mundial na produção, no consumo e na importação de carne suína e a demanda por carne e por sua qualidade vem aumentando. Além disso, há uma crescente pressão dos desafios ambientais e o governo vem colocando regulamentos mais rígidos para se adequar às mudanças climáticas de forma a garantir a segurança alimentar e o abastecimento seguro e equilibrado de alimentos.

Conforme dados apresentados pela equipe chinesa, nos últimos 30 anos o consumo de carne da China quadruplicou. Mesmo com a produção própria, o país segue dependendo da importação de outras matérias-primas para alimentação. Mato Grosso tem grande potencial para atender a esta demanda. Ainda conforme informações fornecidas pelo grupo, as importações da China equivalem a aproximadamente 50% do volume anual total de importação de soja do Brasil, e, cerca de 80% desse montante é todo direcionado para a indústria de alimentos para animais.

Estratégia PCI

Em Paris (França), durante a COP 21 em dezembro de 2015, mais uma ação em busca do desenvolvimento sustentável tornou o estado de Mato Grosso mais atrativo para investimentos. Taques falou sobre a estratégia de Mato Grosso para contribuir com a redução do aquecimento global. Com uma área de 900 mil km², o Estado mantém 60% do seu território preservado.

A estratégia PCI – Produzir, Conservar e Incluir, já atrai investidores de todo o mundo, que intentam investir em sua aplicação para investimento e custeio agrícola, pecuário e florestal.

A PCI possui metas ambiciosas nos três eixos propostos: expansão e aumento da eficiência da produção agropecuária e florestal; conservação da vegetação nativa e recomposição dos passivos; e inclusão socioeconômica da agricultura familiar e populações tradicionais.

Durante a COP 23, que ocorreu na Alemanha na semana passada, o estado de Mato Grosso recebeu R$ 170 milhões para investimentos no combate ao desmatamento, reflorestamento e ações de apoio à agricultura familiar e comunidades tradicionais. O recurso vem do banco estatal alemão KFW.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Telma Cenira Couto da Silva

As mulheres da minha vida

Thomires era o nome da minha avó paterna.  Descendente de franceses, tinha a pele muito alva e os olhos azuis claros, que lembravam o mar. O louro esbranquiçado do seu cabelo remetia-me aos das minhas bonecas. Adorava admirar o...

 
 
 
 
Sitevip Internet