Notícias / Negócios

01/07/15 às 18:53

Quatro dicas para abrir uma loja virtual de acessórios

Aileen Rosik

Água Boa News

Imprimir Enviar para um amigo
Os e-commerces dominaram de vez o mercado, principalmente no ramo da moda. Afinal, são poucas pessoas que ainda não realizaram nenhuma compra online ou não são adeptas desse novo tipo de comércio. Para quem deseja aproveitar essa tendência de mercado e investir nas bijuterias vendidas em sites como este, vale a pena conferir algumas dicas.
 
Nome
A primeira questão a se pensar é a escolha de um nome cativante. Ele precisa se inserir na realidade dos compradores e se tornar uma referência. Por isso, use e abuse da criatividade. Algumas lojas buscam a ajuda de profissionais para escolher o nome e o slogan, fazendo com que tudo seja direcionado e atraia o público-alvo. Atualmente, os compartilhamentos nas mídias sociais são peças centrais na divulgação de qualquer marca. Por isso, não hesite em trabalhar nas redes, e associar o nome da marca a algo moderno e atrativo. Nunca use antigos clichês, pois é importante sempre ter foco no novo e original.
 
Identidade
Antes de iniciar a produção do site, é importante focar na identidade da marca. Cada empresa possui uma cara e, no caso das lojas, ela reflete qual é o público que se quer alcançar. Essa identidade trata justamente dos gostos, do perfil, da faixa etária e do estilo de quem irá comprar os produtos. No caso das bijuterias, esse estilo fica expresso também pelas peças.
 
Um exemplo é a criação voltada para elementos naturais, com o uso de cristais e pedras, ou com foco em looks mais refinados com o uso do strass e brilho. É possível combinar os dois estilos em um mesmo espaço, mas é preciso delimitar bem os universos que eles pertencem. Para isso, é importante ter um fornecedor que oferece opções para diferentes públicos e peças de qualidade, que sigam as últimas tendências. 
 
Modelos
Nada de fotos sem graça de bijuterias dispostas em uma mesa ou mostruário. Aqui é preciso investir na contratação de modelos e na contextualização. O profissional não serve somente para expor o pulso ou a orelha, ele também é a referência de um estilo, um life style e uma aparência desejada.
No caso de peças voltadas para meninas mais jovens, por exemplo, capriche no design, com itens que estejam no ideário delas. Vale a pena procurar referências na internet, principalmente em blogs e sites de fotografia, como o Tumblr e o Pinterest. Essas conexões estabelecem laços fortes e imediatos com os compradores.
 
Público
Ouvir e dialogar com o público é vital para o sucesso de uma marca, principalmente em tempos em que os empreendimentos se tornaram mais efêmeros e vulneráveis devido a uma forte concorrência. Por isso, é sempre bom ouvir o feedback e manter um contato próximo com os clientes, em especial no ambiente virtual, onde há uma certa impessoalidade na hora da compra.
 
A praticidade deve ser o elemento chave da organização da loja virtual, com facilidade de achar os produtos, preços e disponibilidade. Vale a pena investir em um Instagram, divulgando as peças e publicando respostas positivas.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Aurélio Mendanha

O novo de velhas intenções

Estamos passando por um período de muitas incertezas com os efeitos de uma pandemia, polarização ideológica, radicalismos políticos e as velhas notícias diárias de casos de corrupção...

 
 
 
 
Sitevip Internet