Artigos / Aurélio Mendanha

08/09/19 às 09:52

O “CHEIRINHO” QUE NINGUÉM QUER SENTIR !!!

Imprimir Enviar para um amigo
Existem tipos de prestações de serviços que só damos valor quando somos obrigados a solicitar, e ainda pedimos que seja feito com agilidade e presteza devido o incomodo que a situação causa, a limpeza de fossa e um exemplo. O recente problema com a questão da destinação dos dejetos das fossas dos moradores da cidade de Agua Boa evidencia a importância do saneamento básico para o bem estar social e sua relevância à manutenção da saúde humana.

O Saneamento básico e conceituado como sendo o conjunto de medidas que visa a prestação de serviços de abastecimento de água potável, esgotamento sanitário, limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos e drenagem e manejo das águas pluviais.

No Brasil o saneamento básico é um direito assegurado pela Lei federal nº. 11.445/2007, que possui como um dos seus princípios a universalização dos serviços de saneamento básico, que determina que todos tenham acesso ao abastecimento de água de qualidade e em quantidade suficientes às suas necessidades, à coleta e tratamento adequado do esgoto e do lixo, e ao manejo correto das águas das chuvas.

A prefeitura de Agua Boa e a responsáveis pela elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico e por criar meios para incluir a comunidade em sua discussão. O plano municipal é essencial na regulamentação da concessão dos serviços de abastecimento de água e coleta e tratamento de esgotos sanitários, além de decidir sobre a forma de prestação dos serviços (direta ou delegada) e os procedimentos de sua atuação. Adotar parâmetros para a garantia do atendimento essencial à saúde pública, quanto à quantidade, regularidade e qualidade da água potável. Definir o órgão responsável pela sua regulação e fiscalização. Fixar os direitos e deveres dos usuários. Estabelecer os mecanismos de participação e controle social. Construir um sistema de informações sobre os serviços.

Assim, a medida paliativa que a prefeitura realizou no lixão em construir três lagoas de decantação e o mínimo de que se espera do município, de acordo com a lei de saneamento. Em pouco tempo votaremos a ter esse mesmo problema, pois a medida tomada foi emergencial, e com o crescimento da cidade tal obra não suportara o aumento do volume de despejo de dejetos. Deste modo cabe a população organizar e pressionar as autoridades municipais eleitas para planejarem estrategicamente medidas eficientes e eficazes na questão do saneamento básico.
Aurélio Mendanha

Aurélio Mendanha

Aurélio Mendanha da Silva  – Mestrando em Sociologia – UFMT(2019); Pós Graduado em Gestão Segurança Pública- IPDH (2018); Pós Graduação em Gestão Pública-UNOPAR (2017); Pós Graduando em Gestão de pessoas – Faculdade Católica de Anápolis (2012); Graduado em Administração – Faculdades Alfredo Nasser (2009); Técnico em Segurança do Trabalho – SENAC (2010); Servidor da Policial Judiciaria Civil em MT – foi professor nas Áreas de Administração e Segurança do Trabalho no SENAC e SEBRAE – GO.
ver artigos

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Dr. Rosário Casalenuovo Júnior

Queimada e tempo seco não são os agentes principais das doenças respiratórias

As clínicas de otorrinolaringologista e pneumologia ficam cheias nesta época do ano. Crianças e idosos sofrem para dormir, principalmente devido à baixa resistência do organismo, fato que provoca com facilidade...

 
 
 
 
Sitevip Internet