Artigos / Gabriel Guidotti

03/11/15 às 23:49

A resposta suprema

Imprimir Enviar para um amigo
Já ouvi de diferentes profissionais ligados à área da saúde mental: todas as pessoas carregam em seu íntimo um sofrimento latente, uma depressão, mínima que seja. O vazio individual robustece o vazio coletivo. Na medida em que os anos passam, evoluem também nossas ambições, pois é da vida buscar novas experiências e verdades. Ainda que nos esforcemos, não há, para um ser pensante, existência sem propósito.
 
Alguns constroem seu propósito no acúmulo de bens. Vendem a alma por ouro e diamantes. Seus castelos de riqueza e poder permanecem ecoando do passado até centenas de anos no futuro. Outros, menos ambiciosos, se contentam com uma vida simples. A estes não importam o que se tem, mas como se está. Cada indivíduo sabe o que lhe arranca o sorriso na face. A maioria não percebe, entretanto, o fundamento que nos leva a estar aqui. O conhecimento.
 
Existe um modo correto de conduzir a vida? Houve quem tentasse orientar seus seguidores pelo ‘bom’ caminho. Que caminho é bom? Quem disse que pisar à direita ou à esquerda define nosso caráter ou nossas intenções? A religião pratica a salvação, mas que salvação haverá para alguém que não consegue obter as próprias respostas? Um destino escrito por Deus seria leviano. Mesmo o Todo-Poderoso sabe que a história é contada pelo livre arbítrio. Cabe a nós, em sociedade, julgar o bem e o mal.
 
Imperadores e reis tentaram se colocar acima dos demais. Sempre haverá imperadores e reis. Homens simplórios, dotados do dom da palavra, refletiram sua imagem na eternidade. A memória deles está guardada nos pilares da mente. O triunfo da razão, nosso suposto aliado, nos atribuiu uma imensa responsabilidade, qual seja, doutrinar a morte e descobrir o valor da vida. Sem respostas plausíveis, permanecemos tentando. Com um mínimo de depressão, mas permanecemos.
 
O vazio é tangente, pois pensamos demais, desejamos demais. Somos inquietos. E a única forma de preencher um propósito está em encontrar cada um de nós. As pessoas são as únicas constantes nesse universo de variáveis. Talvez esteja aí a resposta suprema, a maior descoberta de nossa raça. Tudo é passageiro, exceto este exato momento. O passado está escrito. O futuro está em construção. O poder do agora constitui nosso grande trunfo. Jamais se esqueça disso.
Gabriel Guidotti

Gabriel Guidotti

Gabriel Bocorny Guidotti é bacharel em direito, jornalista e escritor.
Porto Alegre – RS
ver artigos

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

José Sarney

São Luís em Dezembro

O sinos do Natal já podem ser ouvidos nos seus sons distantes Quando eu era menino e começava, em São Bento, a descobrir o mundo com suas belezas, a primeira coisa que me encantava era o campo verde, lindo tapete de capins:...

 
 
 
 
Sitevip Internet