Artigos / Valcir José Martins

06/10/18 às 09:58

O PT e o peixinho vermelho

Imprimir Enviar para um amigo
O que levou o PT e o ex  Presidente Lula à situação em que se encontram? Para tentar entender vejamos: Narra uma antiga lenda egípcia que no centro de um formoso jardim havia um lago, adornado de ladrilhos azul-turquesa, que alimentado por diminuto canal escoava suas águas através de grade muito estreita.
 
Nesse reduto acolhedor vivia toda uma comunidade de peixes a se refestelarem nédios e satisfeitos, em complicadas locas frescas e sóbrias. Elegeram um dos concidadãos de barbatanas para os encargos de rei, e ali viviam, plenamente despreocupados entre a gula e a preguiça.

Junto deles, porém, havia um peixinho vermelho, menosprezados por todos que não conseguia pescar a mais leve larva, nem refugiar-se nos nichos barrentos. Os outros, vorazes gorduchos, arrebatavam para si todas as formas lavrarias e ocupavam, displicentes, todos os lugares consagrados ao descanso.O peixinho vermelho que nadasse e sofresse. Por isso mesmo era visto em constante correria perseguido pela canícula ou atormentado pela fome.

Não encontrando pouso no vastíssimo domicilio, o pobrezinho não dispunha de tempo para muito lazer e começou a estudar com bastante interesse. Fez o inventário de todos os ladrilhos que enfeitavam as bordas do poço, arrolou todos os buracos nele existentes e sabia, com precisão, onde se reuniria maior massa de lama por ocasião dos aguaceiros.

Depois de muito tempo, a custa de longas perquirições, encontrou a grade do escoadouro. À frente da imprevista oportunidade de aventura benéfica, refletiu consigo: Não será melhor pesquisar a vida e conhecer outros rumos? Optou pela mudança e apesar de macérrimo pela abstenção completa de qualquer conforto, perdeu várias escamas, com grande sofrimento, a fim de atravessar a passagem estreitissima.

Pronunciando votos renovadores, avançou otimista pelo rego de água, encantado com as novas paisagens, ricas flores e sol que o defrontavam. Seguiu embriagado de esperança…

Em breve alcançou um grande rio e fez inúmeros conhecimentos. Encontrou peixes de muitas famílias diferentes, que com ele simpatizaram, instruindo quanto aos percalços da marcha e descortinando-lhe mais fácil roteiro.

Embevecido contemplou nas margens homens e animais, embarcações e pontes, palácios e veículos, cabanas e arvoredos. Habituado com o pouco, vivia com extrema simplicidade, jamais perdendo a leveza e agilidades naturais, conseguiu desse modo atingir o oceano, ébrio de novidade e sedento de estudo.

De início, porém, fascinado pela paixão de observar, chegou perto de uma baleia para quem toda a água do lago em que vivera não seria mais do que diminuta ração e impressionado com o espetáculo, aproximou-se dela mais do que devia e foi tragado com os elementos que lhe constituíam a primeira refeição diária.

Em apuros, o peixinho aflito orou ao Deus dos Peixes, rogando proteção no bojo do monstro e, não obstante as trevas em que pedia salvamento, sua prece foi ouvida, porque o valente cetáceo começou a soluçar e vomitou, restituindo-o às correntes marinhas.

O pequeno viajante, agradecido e feliz, procurou companhias simpáticas e aprendeu a evitar perigos e tentações.

Com esta história contada por Emanuel, Mentor de Chico Xavier, no prefácio do Livro Liberação, ditado pelo Espírito de André Luiz, uma das obras consideradas complementares da codificação espírita, podemos fazer uma metáfora com a situação do Partido dos Trabalhadores:

Era o peixinho vermelho renegado a segundo plano pelos maiores como PSDB, PMDB, PFL e outros e soube, com muito trabalho e aproveitando-se do descontentamento dos brasileiros com a política econômica, baixo salários, um mínimo insuficiente, denuncias de corrupção nas privatizações e outras queixas de eleitores que não suportavam mais a aliança PSDB/PFL, os escândalos envolvendo ACM, Jader Barbalho, José Roberto Arruda, compra de votos para aprovação da emenda da reeleição,enfim corrupção, encontrar o caminho da liberação que o levou ao oceano do deslumbramento. Aí não manteve a distancia prudente dos perigos e acabou sendo tragado pela baleia.Hoje roga aos céus um socorro que possa salvá-lo e só um vômito do gigante pode lhe dar esperanças.

Como diriam alguns religiosos mais fanáticos: “Só por Deus”.
Valcir José Martins

Valcir José Martins

Valcir José Martins, Gerente do Banco do Brasil, aposentado, é adminsitrador em Maringá (PR)
 
ver artigos

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Juacy da Silva

Envelhecimento e saúde integral

A saúde, não no sentido simplesmente de ausência de doença,  mas sim, como enfatiza a Organização Mundial da Saúde, organismo especializado da ONU para esta área,  como “o mais...

 
 
 
 
Sitevip Internet