Artigos / João Baptista Herkenhoff

11/08/18 às 15:52

Relembrando dois profetas

Imprimir Enviar para um amigo
O vocábulo profeta vem do grego prophetes e significa “falar antes”. Na acepção contemporânea, o profeta é o homem ou mulher, cuja comunhão com o Divino impregna sua vida, de um modo tão radical, que o torna capaz de interpretar todos os acontecimentos políticos, sociais e religiosos à luz de Deus e do seu projeto.
 
Um chamamento interior encaminha-me, neste momento, em direção a dois Bispos Profetas: Dom João Baptista da Motta e Albuquerque e Dom Hélder Câmara.
 
Dom João Baptista da Motta e Albuquerque, Arcebispo de Vitória, foi intimado para comparecer ao antigo Terceiro BC, Batalhão do Exército situado em Vila Velha. Seus inquisidores queriam que ele explicasse o que estava acontecendo na Arquidiocese de Vitória, onde padres pregavam um Evangelho político. Dom João devia coibir o trabalho desses sacerdotes, reprimir o envenamento da Religião por teses comunistas.
 
A intimação para comparecer ao Batalhão de Caçadores, onde estavam ocorrendo processos sumários para alcançar comunistas, humilhou Dom João. A convocação autoritária teria silenciado nosso Arcebispo, se ele não fosse um homem de Deus.
 
Vamos agora relembrar Dom Hélder.
 
O derradeiro encontro deste articulista pecador com o santo Hélder Câmara aconteceu no Recife, em 1997, dois anos antes de sua partida para o Reino prometido. O cenário desse ultimo encontro foi a modesta casa onde Dom Hélder morava. Ele vendeu o suntuoso palácio, que era a residência dos bispos. Aplicou o dinheiro para construir casas para os pobres, e foi morar na periferia.
 
A primeira coisa que observei, ao chegar, foi a completa desproteção da casa. Disse-lhe: Dom Hélder, as coisas que o senhor fala não agradam os poderosos. Fácil, fácil, o senhor pode ser assassinado aqui. Ele respondeu com um gesto e uma frase. Curvou a cabeça e disse: está vendo estes fios de cabelo que restam? Não cai um único sem que Deus permita.
 
Conto-lhe que durante o período em que seu nome não podia ser mencionado na imprensa, eu havia “furado” o bloqueio, no jornal “A Ordem”, de São José do Calçado, cidade do interior do Espírito Santo, onde eu exercia a magistratura. Na edição de 4 de agosto de 1969, publiquei um artigo com um título bem cândido: “Reflexões após um período de férias”. No miolo do texto havia cinco parágrafos em sua defesa.
 
Quem conhece a sociologia das cidades do interior sabe que, na arquitetura do poder local, jamais o redator-chefe de um jornal censuraria um artigo do Juiz de Direito da Comarca, ainda que tendo na mesa do jornal, como era o caso, ordens expressas de escalões federais proibindo referências a Dom Hélder.
 
Ele achou muito engraçado o episódio e finalizou: você deu uma rasteira na censura.
 
           É livre a divulgação deste artigo, por qualquer meio ou veículo,
           inclusive através da transmissão de pessoa para pessoa.
           Foi publicado em A GAZETA, de Vitória, ed. de 4 de maio de 2016. 
João Baptista Herkenhoff

João Baptista Herkenhoff

João Baptista Herkenhoff é juiz de Direito aposentado (ES), possui graduação em Direito pela Faculdade de Direito do Espírito Santo (1958), mestrado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1975) e livre docência na Ufes (1979). Pós doutorado em Wisconsin (1984) e na Universidade de Rouen (1992).

Atualmente é Coordenador Pedagógico do Curso de Direito da Faculdade Estácio de Sá no Espírito Santo e Professor Pesquisador da mesma instituição e m
inistra cursos de pequena duração sobre Direitos Humanos.
ver artigos

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Dr. Rosário Casalenuovo Júnior

Coisas de Preto

Cada povo tem seu dom, sua habilidade e no Brasil temos a riqueza de todas as cores de pele,tipos de cabelo, todas as culturas do mundo, diferentes etnias. E no meu ponto de vista, a maior riqueza da humanidade é a diversidade.  Mas...

 

Enquete

Se a eleição para presidente tivesse Jair Bolsonaro e Sérgio Moro como candidatos, em quem você votaria?

 
 
 
Sitevip Internet