Artigos / Maria Augusta Ribeiro

03/01/17 às 10:55

Falha na Segurança Digital da Geração Y

Imprimir Enviar para um amigo
A turma dos nativos digitais e altamente conectados é também a mais despreparada com relação à segurança de seus dados em ambiente online. É nesse contexto da era da informação que temos uma exorada de golpes, vírus e sequestros virtuais, com foco na geração Y.
 
Eitaaaaa! Está me dizendo que a geração que nasceu plugada a internet, e hoje tem de 18 a 34 anos, são as maiores vítimas de golpes na internet? Isso mesmo.
 
A pedido da Microsoft, a Ipsos, uma empresa de consultoria de inteligência de mercado, realizou uma pesquisa recente em 12 países com mais de 1000 pessoas, e constatou que 50% das vítimas de golpes aplicados na internet eram os chamados millenials, ou geração Y.
 
Como assim? Esta galera não deveria ser a mais atenta com seus dados, por se tratar de um ambiente comum a quem vive em modo wi-fi? Sim, porém, a pesquisa identificou que há uma falha de comunicação, e não de conexão.
 
Uma boa parte da população tem hoje entre 20 e 35 anos. Mas, o grupo entendido como “experientes digitais” em realidade sabem pouco de privacidade, segurança e proteção.
 
Os golpes na internet evoluíram. Não estamos mais falando de vírus que infectam seu computador num segundo. Hoje a sofisticação inclui arquivos que podem causar ataques epiléticos recebido pelas redes sociais.
 
As fraudes na web também recorrem a artimanhas malignas, como um hacker que bloqueia seu computador e, em vez de pedir dinheiro para resgaste, deseja apenas que envie vírus para outros computadores para devolver seus dados.
 
A clonagem de dados também é algo que está em moda, quando falamos de segurança digital. Tenho certeza de que você conhece pelo menos uma pessoa que teve o cartão de crédito clonado.
 
A pesquisa da Ipsos colocou a geração dos descolados em xeque, e nos faz refletir se eles e nós estamos preparados para navegar na internet de forma segura. Além disso, há uma preocupação com as crianças e com os muitos jovens, que constantemente são alvos de golpes ainda maiores, como bullyng, estupros e sequestros, que passam do virtual para o real.
 
Ok! Mar calmo nunca fez marujo experiente. Mas a velha tática de checar as informações para ver se são reais, não dar clic em links ou anexos de e-mails estranhos, e não aceitar estranhos nas redes sociais, ainda se faz necessário, e principalmente a conversa com os mais jovens para saber se, de fato, é o Justin Bieber que o segue no Instagram ou somente uma conta falsa prestes a ser a porta de entrada para golpes na internet. Fique atento!
Maria Augusta Ribeiro

Maria Augusta Ribeiro

Maria Augusta Ribeiro é profissional da informação, especialista em Netnografia. Também é Coordenadora de Comunicação da BPW Brasil, escreve para o Belicosa.com.br e é parceira do site Água Boa News.
ver artigos

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

João Baptista Herkenhoff

Os Vices e a Democracia

Penduricalho é a coisa que fica pendurada, que pende como enfeite ou adorno. Os vices, em plano federal, estadual ou municipal (vice-presidente, vice-governador, vice-prefeito) têm sido penduricalhos. Com esta afirmação...

 
 
 
 
Sitevip Internet