Artigos / João Spenthof

28/12/16 às 19:28

Cooperativismo de crédito e função social

Imprimir Enviar para um amigo
O cooperativismo de crédito é para todos. Hoje, este é o modelo de negócio que mais cresce e promove inclusão social no Brasil. Pessoas que não conseguem participar do sistema financeiro tradicional têm na cooperativa de crédito, oportunidades e benefícios. Isso por que o cooperativismo de crédito não é discriminatório, pois valoriza as pessoas. Para uma instituição financeira cooperativa, como também são conhecidas, o lucro é a soma de forças, o crescimento econômico conjunto e a melhoria da vida em comunidade.
 
No Dia Nacional do Cooperativismo de Crédito, comemorado em 28 de dezembro, esse discurso ganha força e mostra que é eficiente tanto na teoria quanto em sua atuação prática. Segundo dados da Confederação Brasileira de Cooperativismo de Crédito, (ConfeBras) as cooperativas de crédito tiveram um crescimento maior do que o do sistema bancário nacional, no último ano.
 
O Sicredi Centro Norte, que reúne cooperativas dos Estados de Mato Grosso, Pará, Rondônia e que deve chegar ao Acre no próximo ano, é um exemplo disso. A instituição financeira cooperativa registrou aumento de 20% no número de associados em sua região de atuação, entre 2013 e 2015, saltou de 283 mil para 349 mil.
 
Além de agregar mais cooperados, o Sicredi está mais perto. Temos presença em 1083 municípios, dos quais 45% são de pequeno porte, (até 10 mil habitantes) e em 21% das cidades somos a única instituição financeira. Em 2016, inauguramos novas unidades de atendimento em Mato Grosso e no Pará. Essa expansão também se reflete em nosso quadro de colaboradores, que teve aumento de pouco mais 38% nos últimos dez anos.
 
Mesmo com um cenário econômico adverso que também afeta o sistema financeiro – com dificuldade de acesso ao crédito em função do alto endividamento, taxas de juros elevadas e crescimento da inadimplência – as cooperativas de crédito têm aumentado os empréstimos a associados. Até setembro de 2016, o saldo das operações de crédito das cooperativas avançou 8,5% na comparação com o mesmo período de 2015. Já os bancos viram o volume de empréstimos recuar 3,4% nesse mesmo intervalo.
 
Estamos atentos também ao estímulo e ao crescimento dos pequenos negócios em nossas regiões. Até outubro de 2016, o Sicredi Centro Norte destinou mais de R$ 600 milhões para pouco mais de 5.600 empresas do tipo MEIs, micro e pequenas empresas. Na agricultura familiar, os valores liberados foram R$ 197 milhões, por meio do FCO e Pronaf.
 
Este cenário expressivo se explica pelo direito dos associados participarem diretamente da gestão e planejamento da sua cooperativa. Nossos alicerces são: controle democrático, adesão voluntária e livre, autonomia e independência, interesse pela comunidade, gestão democrática, a educação a formação e informação, participação econômica e a intercooperação. Em uma instituição financeira cooperativa, os resultados são divididos entre os associados e são eles que ajudam a decidir como os resultados da cooperativa serão administrados. Tais resultados são, muitas vezes, utilizados em programas de desenvolvimento local. Afinal, o interesse pela comunidade, além de ser um dos princípios do cooperativismo, é um dos diferenciais do Sicredi.
 
O Programa “A União faz a Vida”, principal programa de responsabilidade social da instituição, é exemplo de destinação de recursos com impacto local. O objetivo central do programa é promover a cooperação e a cidadania, por meio de práticas de educação cooperativa, com foco na educação integral dos estudantes. Só em Mato Grosso, o programa que existe há mais de 20 anos, já beneficia mais de 65 mil crianças e adolescentes e 4696 professores em 195 escolas de 22 municípios.
 
Outro projeto, o “Recuperando Nascentes”, em sua 48ª edição e possibilitou a recuperação de 21 nascentes com 51 mil mudas plantadas. Preocupado com o desenvolvimento da comunidade local, em 2016, o Sicredi destinou mais de R$ 1 milhão – em Mato Grosso – para várias entidades filantrópicas de assistência ao idoso, de acolhimento de crianças, de desenvolvimento escolar e de estímulo ao esporte.
 
O envolvimento da cooperativa com a comunidade transcende a concessão de recursos. A recente parceria entre o Sicredi e o Hospital de Câncer de Mato Grosso, por exemplo, criou “Amigos da Cura”, um projeto que beneficiou o Hospital com novas alternativas de arrecadação de doações, por meio de canais mais acessíveis à população. Na ação “Caravana da Prevenção”, que também contou com o nosso apoio, uma equipe de médicos oncologistas percorreu 69 municípios/distritos em Mato Grosso, proporcionou mais de 26 mil atendimentos preventivos de câncer. A parceria entre o Hospital de Câncer e o Sicredi também resultou na reforma e modernização de uma enfermaria do “Projeto Aconchego”, ação que possibilita atendimento mais humanizado aos pacientes.
 
Quando existe união por um mesmo propósito, grandes transformações podem acontecer. O jeito humano e colaborativo do cooperativismo de crédito é uma referência quando o assunto é caminhar juntos. Sua missão de ser instrumento de organização econômica da sociedade tem ganhado cada vez mais espaço. Ao longo do tempo, provou ser um modelo sustentável e moderno, conquistou confiança e novos adeptos. Hoje, o cooperativismo de crédito é mais que uma alternativa financeira, é uma nova maneira de promover o desenvolvimento econômico aliado ao social. Cooperar dá um novo sentido ao “compartilhar”. É atuar em conjunto com benefícios para todos.
João Spenthof

João Spenthof

João Carlos Spenthof é presidente do Sicredi Centro Norte.
ver artigos

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Juacy da Silva

CALÇADAS, UMA VERGONHA NACIONAL

Com frequência ouvimos de nossas autoridades que o Brasil é um país que possui uma das mais avançadas e atualizadas legislações do mundo que, as vezes pode ser considerado como modelo para os demais...

 
 
 
 
Sitevip Internet