Artigos / Telma Cenira Couto da Silva

23/09/15 às 17:08

Eclipse total de uma ”Super-Lua de Sangue”

Imprimir Enviar para um amigo
O mês de setembro nos proporcionará um evento astronômico imperdível se as condições climáticas permitirem a sua observação. Começando na noite de 27 de setembro e terminando nas primeiras horas da madrugada de 28 de setembro próximo, um eclipse  total  da Lua  poderá ser observado em todas as regiões do Brasil.  Um eclipse lunar é visível a olho nu, não causa problema algum à visão e  é um evento astronômico bonito de ser visto.
 
Existem outros fatos interessantes sobre esse eclipse lunar. No dia 27  a Lua, na fase cheia, estará no perigeu, a posição de sua órbita mais próxima à Terra,  quando será observada maior, uma Super-Lua. Nesse dia, a Lua estará na posição mais próxima à Terra em todo o ano de 2015, e, portanto,  será  a Super-Lua de 2015!  Essa Lua cheia  também será uma Lua de Sangue  porque representará o quarto eclipse   de uma tetrada lunar, que é uma sequencia de quatro eclipses lunares totais que ocorrem  num intervalo de seis meses lunares entre cada um deles. Então, começando no dia 27 e se estendendo até o dia 28 de setembro, ocorrerá o eclipse total de uma Super-Lua de Sangue!
 
A Super-Lua: a passagem da Lua pelo perigeu ocorrerá em 28 de setembro a  1h46min UT, onde UT é o tempo universal. Esse horário corresponde  às 22h46min  do dia 27 de setembro no horário de Brasília (UT-3), às 21h46min  no  de Cuiabá (UT-4), e às 20h46min  no de Rio Branco (UT-5).  O melhor horário para observar uma Super-Lua é quando ela está próxima ao horizonte, quando podemos compará-la a objetos próximos e ela nos parece maior. Observá-la no horizonte quando ela passa pelo perigeu é o ideal, mas isso dificilmente acontece. Mas, ao se aproximar ou, ao se afastar do perigeu, a sua dimensão angular aparente fica maior. Na observação da Super-Lua  os habitantes do Acre estarão favorecidos,  mas o espetáculo será visível em todo Brasil. É só buscar a Lua do lado leste no começo da noite. Se não for possível observá-la nesse horário, deve-se tentar a madrugada de 28 de setembro quando ela estiver se pondo do lado oeste. Ela ainda terá um diâmetro aparente maior que o habitual.
O eclipse lunar total:  um eclipse lunar total ocorre quando o Sol, a Terra e a Lua ficam alinhados no espaço com a Terra  posicionada entre o Sol e a Lua e a sombra que a Terra projeta no espaço encobre totalmente a Lua.
Um eclipse lunar total é precedido por um eclipse penumbral, quando a Lua entra na penumbra, parte mais clara da sombra da Terra. Posteriormente, há  um eclipse parcial quando a Lua entra na umbra, região mais escura da sombra da Terra, e parece estar “mordida”. Na totalidade a Lua fica completamente encoberta pela umbra, porém,  ela não fica totalmente escura, mas, com uma cor avermelhada.  Isso ocorre porque a atmosfera terrestre se estende muito além  da superfície do nosso planeta e um anel   circular de atmosfera permanece ao redor da Terra durante o eclipse lunar total ;  essa atmosfera filtra e refrata os raios  de Sol o que faz com que  os raios de cor vermelha atinjam a Lua. A  totalidade desse eclipse  deverá durar 72 minutos. Após a totalidade haverá um novo eclipse parcial quando a Lua começará a deixar a umbra, e, por fim, ocorrerá outro eclipse penumbral. No eclipse penumbral a Lua apenas diminui o seu brilho. De difícil percepção, o horário do  início e término  do eclipse penumbral  já não costuma ser divulgado na mídia. Mas, para os que se interessam pelo assunto o seu horário também é apresentado abaixo.
 
                                                                                             27 – 28 de setembro                                                            
                                                                     Brasília                   Cuiabá                Rio Branco
                                                                    (UT – 3)                  (UT – 4)                  (UT – 5)
Início do Eclipse Penumbral                 21h12min              20h12min              19h12min
Início do Eclipse Parcial                         22h07min             21h07min               20h07min
Início do Eclipse Total                            23h11min             22h11min               21h11min
Máximo do Eclipse Total                       23h47min             22h47min               21h47min
Fim do Eclipse Total                                0h23min               23h23min               22h23min
Fim do Eclipse Parcial                             1h27min                 0h27min                 23h27min
Fim do Eclipse Penumbral                      2h22min                 1h22min                   0h22min
 
A Lua de Sangue: a expressão Lua de Sangue não é usada em Astronomia. Para os astrônomos esse será apenas o ultimo eclipse de uma tetrada lunar. Essa expressão  foi introduzida pelo pastor John Hagee  e amplamente difundida na mídia. Hagee  atribuiu um significado espiritual a um evento comum em Astronomia. Como os eclipses totais desta tetrada (2014-2015) coincidiram com datas festivas judaicas, Hagee sugeriu que “esse é um sinal de que algo dramático acontecerá no Oriente Médio envolvendo Israel, que mudará o curso da história no Oriente Médio e trará um impacto em todo o mundo”. Diferente de um eclipse solar total que só pode ser observado numa estreita faixa da superfície terrestre, um eclipse lunar total pode ser observado numa extensa região da Terra nos lugares em que é noite quando acontece o evento. Porém, esse eclipse lunar total não será  visível em  Israel! Inquirido sobre esse fato num debate televisivo Hagee não soube responder!
Um fato curioso sobre essa Lua de Sangue é que ela coincidirá com uma Super-Lua, melhor ainda, com a Super-Lua do ano! Só por curiosidade eu verifiquei a ocorrência de uma Super-Lua durante as tetradas lunares próximas à atual, 2014-2015. A  tetrada anterior ocorreu em 2003-2004 e a próxima ocorrerá em 2032-2033. A tetrada de 2003-2004 não ocorreu com uma Super-Lua.  Só em 8 de outubro de 2033 haverá uma outra Super-Lua associada a uma Lua de Sangue, mas só os habitantes do extremo oeste do Brasil conseguirão observar parte do primeiro eclipse parcial da Lua. A totalidade desse eclipse lunar não será observada em nosso país.
Algum motivo para preocupação? Nem pensar! É só torcer para que a Mãe Natureza nos permita observar esse interessante evento.
 
Nota 1:  As informações do texto foram obtidas utilizando programas desenvolvidos por Fred Espenak  da NASA.
Nota 2:  Lua ou lua?  Diferente dos textos comuns, nos de Astronomia  a  Lua, a Terra e o Sol são nomes próprios e escritos com letra maiúscula. Eu posso escrever, por exemplo, “a lua é dos namorados”, mas, devo escrever “a Lua é o único satélite natural da Terra”. Há que se ressaltar que Lua é a grafia usada em livros de Astronomia e na maioria dos livros de Ciência que tratam do assunto. Então, eu não posso escrever superlua. Por isso usei Super-Lua neste texto.
Telma Cenira Couto da Silva

Telma Cenira Couto da Silva

Telma Cenira Couto da Silva, doutora em Astronomia (IAG – USP) e professora aposentada da UFMT.
 
ver artigos

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

João Spenthof

Cooperativismo de crédito: trabalhar para transformar

Cooperar é uma palavra que tem várias definições. Uma delas é operar em conjunto, é – o que podemos dizer – ser coautor(a) de uma mesma obra. Esses “coautores” são chamados de...

 
 
 
 
Sitevip Internet