Artigos / Dr. Orlando Barreto Neto

18/08/15 às 10:30

Médico: Sacerdócio ou Profissão?

Imprimir Enviar para um amigo
A profissão que todos os pais e avós sonham para os seus descendentes. Anos e anos de estudos, plantões em hospitais, horários de trabalho alternativos...

Tudo isso vale a pena? 
Sabemos que os primeiros médicos foram os sacerdotes que, nas diversas culturas, inspirados ou credenciados pelos deuses, praticavam a arte de curar. Era, portanto, a Medicina uma atividade divina, exercida pelos deuses por intermédio desses sacerdotes.

Mas Medicina não é apenas isso. Medicina é e sempre será sentimento e arte. Sentimento que nasce do indissociável compromisso de solidariedade com o homem. Arte que aflora da sensação de que o conhecimento científico não encerra em si toda a natureza do nosso ofício. A Medicina transcende ao óbvio tecnicismo, é muito mais que um desejo de conhecimento: é um sonho de transformação. E nós, médicos, somos apenas guardiões deste sonho.

Por mais que a profissão médica esteja envolta numa aura vocacional e de entrega quase que total, é conveniente que o paciente saiba que o médico tem uma vida fora da medicina, o que envolve família, lazer, cidadania e até mesmo necessidades fisiológicas e que assim como qualquer ser humano esta suscetível a riscos de enfermidades.

Já é notório o dizer “O hábito faz o monge”, provérbio português e brasileiro, o qual permite bela interpretação a partir do duplo significado do vocábulo “hábito”, indumentário ou comportamento. Da mesma forma “O hábito faz o médico”. Igualmente, não é o vestuário o determinante, por mais belo o traje, comumente jaleco, por mais requintado o estetoscópio ou outro aparelho. Também não é a insígnia, registro profissional ou diploma, outra possibilidade de sentido para o termo. Não é isso que faz o médico, assim como os monges. Na construção do sujeito médico verdadeiro é exigência imprescindível, além do estudo perene contemporâneo e atualizado, a moral, a ética, a retidão de caráter, a empatia sincera, a alteridade acolhedora, a consciência social, a inclinação humanística e o amor ao semelhante, como missão diária de assim pensar, sentir e agir, enfim, modus operandi, o proceder, na prática médica cotidiana.

A razão é elementar: a medicina não é mais um sacerdócio. A época de Hipócrates acabou. A medicina não é mais exercida somente por sacerdotes, padres, xamãs, curandeiros; é exercida por profissionais, que recebem um pagamento, possuem chefes a quem responder, exigências, responsabilidades e, acima de tudo estão sujeitos a processos por mal prática, que crescem de forma exorbitante nos EUA e estão seguindo o mesmo caminho aqui no Brasil.

Querendo ou não todo médico é um pouco uma figura pública, mesmo que tenhamos aversão a palavra “celebridade”. Temos um conhecimento que se disseminado pode salvar vidas ou pelo menos melhorar muito a qualidade delas. Disseminar esse conhecimento dentro na nossa “audiência” é um bem que fazemos para nossa carreira e para a saúde.

Será que confundem o exercício da medicina com sacerdócio de graça, que não existe em nenhuma religião, ou “profissão de fé” de não receber pelo trabalho realizado? Ou é má-fé inominável? Num país capitalista os salários são regulados pelo mercado. Assalariados não impõem quanto vão ganhar, por que só médicos teriam de dizer que querem menos do que paga o mercado, que aqui é majoritariamente precarizado: sem carteira assinada e sem concurso público?

O sacerdócio na Medicina nada mais é que uma extensão da profissão, visto que está inserido em todo o contexto médico, impossível dicotomizá-lo e ser médico em sua plenitude.

Minha admiração a todos aqueles, que lutam pelo aprimoramento da saúde e tem as mãos e as cabeças iluminadas. E que entendem que ¨Médicos não são deuses, são apenas ferramentas de Deus¨ (Platão).
 
Dr. Orlando Barreto Neto
https://www.facebook.com/clinicadrorlandobarreto
https://www.facebook.com/medbarreto
skype:drorlandobarreto
twitter:@medbarret
Dr. Orlando Barreto Neto

Dr. Orlando Barreto Neto

Orlando Barreto Neto é médico obstetra e ginecologista no Paraná (CRM-PR 32.481).
 
Twitter | Facebook | Skype:drorlandobarreto
 
ver artigos

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Dr. Rosário Casalenuovo Júnior

Queimada e tempo seco não são os agentes principais das doenças respiratórias

As clínicas de otorrinolaringologista e pneumologia ficam cheias nesta época do ano. Crianças e idosos sofrem para dormir, principalmente devido à baixa resistência do organismo, fato que provoca com facilidade...

 
 
 
 
Sitevip Internet